Palmeiras aposta em 3 atacantes para abrir vantagem

Depois de quase quatro meses, o Palmeiras volta a enfrentar um integrante da Série A do futebol brasileiro. Contra o Atlético-PR, nesta quarta-feira, a partir das 19h30, no Pacaembu, a equipe estreia na Copa do Brasil, no jogo de ida das oitavas de final, com a ansiedade de saber qual o seu real potencial e determinada a atacar o adversário com um trio de ataque.

CIRO CAMPOS, Agência Estado

21 de agosto de 2013 | 08h05

Líder com folga da Série B, somando 11 jogos de invencibilidade, o Palmeiras vê no confronto pela Copa do Brasil um teste de afirmação da qualidade do time diante de um adversário com retrospecto também muito positivo. O Atlético-PR não perde desde que o técnico Vágner Mancini assumiu o cargo, há dez jogos - assim, subiu para quinta colocação no Brasileirão.

"Nós, do Palmeiras, temos o interesse e a ansiedade de mostrar o nosso trabalho para todos os que duvidam da capacidade. O Atlético-PR vem muito bem na Série A e isso nos motiva a tentar ganhar", disse o volante Márcio Araújo. O último encontro palmeirense com outro clube da elite nacional foi pela semifinal do Campeonato Paulista, contra o Santos.

Márcio Araújo ressaltou que o Palmeiras, por estar na Série B, entra na Copa do Brasil como "azarão". Mas a aparente postura modesta do atual campeão do torneio contrasta com a formação ousada que vai a campo. No último treino antes da partida, o técnico Gilson Kleina tirou o volante Charles e escalou como titular o atacante Ananias, que vai formar o trio ofensivo com Leandro e Alan Kardec.

O treinador surpreendeu ao mudar o esquema tático utilizado nas últimas partidas, o 4-4-2, para o 4-3-3. Após a vitória sobre o Paysandu, no último sábado, Gilson Kleina tinha cogitado alterar apenas a formação do meio-de-campo, ao tirar um dos três volantes para escalar mais um meia de criação. Mas apostou em mais um homem de frente para tentar construir no Pacaembu uma vantagem confortável para o jogo de volta, na semana que vem, em Curitiba.

No treino de terça-feira, o técnico insistiu na repetição das cobranças de escanteio e também na saída de bola. Com três atacantes, os laterais pouco avançaram. Pela esquerda, Ananias e Wesley devem armar as principais jogadas. E na direita, Leandro terá a aproximação de Mendieta, novamente substituto de Valdivia, machucado.

Na defesa, o zagueiro Vilson está recuperado de lesão na coxa direita e treinou normalmente ao lado de Henrique. O setor tem preocupado Gilson Kleina, pois o Palmeiras, jogando como mandante, levou gols em quatro dos últimos cinco jogos. Evitar a incômoda tendência será fundamental para buscar a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil - no regulamento do torneio, os gols marcados como visitante servem como critério de desempate.

"O fato de ter três atacantes não significa que nosso time vai ficar exposto. Todos, desde o ataque, têm de se aplicar bastante na marcação", pediu o volante Márcio Araújo.

A torcida também parece ansiosa para ver o reencontro com um clube da primeira divisão. Até a noite de terça-feira, dois setores de arquibancada estavam com ingressos esgotados e, ao todo, 15 mil entradas já tinham sido vendidas. A previsão é de que o estádio esteja cheio.

No Atlético-PR, o técnico Vagner Mancini reconhece o bom momento e a força histórica do Palmeiras. Por isso, pediu cuidado aos seus jogadores no confronto desta quarta-feira no Pacaembu. Para ele, a equipe paranaense precisa mostrar uma boa marcação e usar da velocidade no ataque para conseguir um bom resultado no jogo de ida das oitavas de final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.