Clayton de Souza/Estadão - 04/01/2013
Clayton de Souza/Estadão - 04/01/2013

Palmeiras aposta em Wesley para criar contra-ataques contra o Atlético-PR

Time ensaia retranca para garantir classificação na Copa do Brasil fora de casa

Ciro Campos , O Estado de S. Paulo

28 de agosto de 2013 | 07h35

SÃO PAULO - Para tentar mudar a postura de um Palmeiras que deve ser cauteloso contra o Atlético-PR, o volante Wesley será fundamental para o jogo desta quarta-feira, em Curitiba, pela Copa do Brasil. O veloz jogador é peça fundamental para se tornar o elemento surpresa de um esquema tático arrumado para ter três homens de marcação no meio-de-campo (Wesley, Márcio Araújo e Charles).

Mesmo pretendido pelo Atlético-MG, atual campeão da Libertadores, Wesley preferiu continuar no Palmeiras, onde chegou em 2012 e logo enfrentou uma grave lesão. Em um jogo contra o Guarani, pelo Campeonato Paulista ele teve os ligamentos do joelho direito rompidos. Após sete meses fora dos gramados, voltou à equipe titular em outubro do ano passado e desde então mostra ser uma peça importante.

Contra o Atlético-PR, clube que defendeu em 2009, a velocidade e as subidas ao ataque de Wesley serão importantes para ajudar o único meia-armador do time, Mendieta, a servir a dupla ofensiva Alan Kardec e Leandro. O camisa 11 será útil para dar a qualidade na saída dos contra-ataques de um time que promete usar dessa arma, pois joga pelo empate para ir às quartas de final da Copa da Brasil.

A tarefa de Wesley e dos seus companheiros não será fácil. A equipe paranaense vem de cinco vitórias consecutivas em casa e como mandante, a última derrota foi há sete meses, ainda pelo Campeonato Estadual, quando o Atlético-PR utilizou o elenco sub-23. "Confio muito na força da minha equipe. Nós do Palmeiras temos que provar nossa qualidade sempre e estamos preparados", disse o técnico Gilson Kleina.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasfutebolCopa do BrasilWesley

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.