Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras aprova orçamento para 2020 e prevê verba de R$ 50 milhões para reforços

Clube quer reduzir em até 14% das despesas com o departamento de futebol e fazer contratações mais certeiras, agora a cargo do técnico Vanderlei Luxemburgo

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

18 de dezembro de 2019 | 10h20

O Palmeiras aprovou na noite de terça-feira, em reunião do seu Conselho Orientação e Fiscalização (COF), o orçamento do departamento de futebol para 2020. A previsão do clube para a próxima temporada aponta receitas de R$ 600 milhões, redução de 14% nos gastos com o departamento de futebol, superávit de R$ 12 milhões e verba de contratações entre R$ 40 milhões e R$ 50 milhões.

Os números foram aprovados por 14 votos contra um. Os dados se inserem em um novo planejamento do Palmeiras de contratar menos e trazer reforços pontuais e mais certeiros em vez dos cerca de R$ 140 milhões aplicados em novos atletas para esta temporada. O clube não pensa em fazer apostas. O clube avalia que a redução de despesas com o elenco não vai diminuir a qualidade do grupo, agora comandado por Vanderlei Luxemburgo. Mas vai, certamente, gerar um maior equilíbrio financeiro. Para 2020, a equipe terá como principal mudança contar com mais jogadores das categorias de base, como Gabriel Veron, garoto de 17 anos recém-subido ao time.

A verba para buscar reforços no mercado pode aumentar de acordo com variáveis financeiras, como a entrada de receitas oriundas de premiações por conquistas. Apesar de ter parte da sua receita liberada para investimentos, o Palmeiras deve fechar a temporada 2019 com números apertados nas finanças. Até novembro, o clube registrou déficit acumulado de R$ 34,5 milhões, apesar de o mês ter apresentado balanço positivo de R$ 1,5 milhão. Não foi informado se toda a receita de televisão já havia entrado das contas do clube. 

Fora a previsão orçamentária para 2020, o Palmeiras terá na noite da próxima sexta-feira outra reunião, essa para votar as contas referentes ao exercício deste ano. O Conselho Deliberativo vai apreciar o balanço da temporada e discutir possíveis mudanças para 2020.

NEGOCIAÇÕES

A redução de 14% nos custos do departamento de futebol terá como principal responsável o novo diretor da área, Anderson Barros, ex-Botafogo, assim como o trabalho do novo treinador, Vanderlei Luxemburgo. O Palmeiras tem liberado alguns jogadores do elenco. O primeiro a se despedir foi o volante Thiago Santos, negociado com o Dallas, dos Estados Unidos. O zagueiro Antônio Carlos também já acertou empréstimo de um ano com o Orlando City. O próximo a sair deve ser o atacante Miguel Borja, candidato a ser emprestado ao Olímpia, do Paraguai. Edu Dracena se aposentou. E Fernando Prass não teve o contrato renomado.

 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.