Jonne Roriz/AE
Jonne Roriz/AE

Palmeiras arranca empate em 2 a 2 com o Avaí no Palestra

Líder do Brasileirão perdia por dois gols, mas conseguiu igualar; diferença para o São Paulo é de 5 pontos

Bruno Deiro - O Estado de S. Paulo,

08 de outubro de 2009 | 22h54

O empate por 2 a 2 no Palestra Itália contra o Avaí foi um desfecho inesperado em uma rodada quase perfeita para o Palmeiras. Obtido nos minutos finais, com um gol de Robert, o resultado chegou a ser comemorado pela torcida alviverde, que também viu tropeçar a maioria dos rivais na 28.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Veja também:

linkElenco diz que Palmeiras saiu no lucro

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Acho que foi um bom resultado", afirmou o autor do gol de empate palmeirense, marcado aos 40 minutos do 2.º tempo. "Do jeito que veio, foi positivo, mas tínhamos de ganhar em casa." A dez rodadas do fim do campeonato, o empate serviu para mostrar que o título ainda é algo longe de estar garantido.

A chuva fina que marcou esta quinta-feira na capital paulista, e que não parou durante todo o jogo, deixou o gramado do Palestra Itália bastante escorregadio, tornando a batalha ainda mais dramática. As duas equipes mostraram bom toque de bola e buscaram sempre o ataque. Os quase 17 mil palmeirenses que foram ao estádio assistiram a uma partida eletrizante do início ao fim.

O Palmeiras não conseguiu o domínio inicial que planejava e sofreu o primeiro gol aos 8 minutos. William se antecipou à zaga na cobrança de escanteio e abriu o placar, de cabeça (o árbitro deu gol contra para Marcão, o último a tocar na bola).

O Palmeiras sentiu o baque e demorou a se encontrar na partida. Quando tentava a reação, sofreu outro golpe, aos 32, em cobrança de falta. Émerson subiu sozinho para marcar mais um de cabeça sobre a frágil defesa do time da casa, ampliando a vantagem do Avaí no placar.

A esperança de reação, porém, veio antes do intervalo. Aos 38, Vágner Love aproveitou uma bola mal rebatida pela zaga adversária e diminuiu. "Era para estarmos perdendo até por três gols. Agora vamos para o tudo ou nada", afirmou o goleiro Marcos.

Muricy confirmou a ousadia e colocou Robert, Willians e Ortigoza para sufocar o Avaí. O time levou contra-ataques, mas conseguiu seu objetivo a cinco minutos do fim, quando Robert marcou de cabeça e empatou.

DIEGO SOUZA FAZ FALTA

 Palmeiras2
Marcos; Danilo    , Edmílson     e Marcão; Figueroa, Jumar, Souza (Ortigoza), Cleiton Xavier e Jéfferson (Willians); Obina     (Robert) e Vágner Love   
Técnico: Muricy Ramalho
 Avaí2
Eduardo Martini    ; Augusto, Rafael e Émerson; Luiz Ricardo, Marcus Winícius, Léo Gago, Marquinhos     e Eltinho; Muriqui (Assis) e William (Cristian)
Técnico: Silas
Gols: Marcão (contra), aos 8, Émerson, aos 32, e Vágner Love, aos 38 minutos do primeiro tempo; e Robert, aos 40 minutos do segundo tempo

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)

Renda: R$ 705.471,24

Público: 16.597 pagantes

Estádio: Palestra Itália, em São Paulo (SP)

Sob o comando de Muricy Ramalho, o Palmeiras mais uma vez não conseguiu uma boa atuação sem Diego Souza. O meia, que está servindo à seleção brasileira, já havia desfalcado o time contra Coritiba e Vitória, as duas únicas derrotas da equipe desde que chegou à liderança.

No próximo jogo, contra o Náutico, no Recife, além da principal estrela, o time terá de conviver com uma série de outros desfalques.

O zagueiro Maurício Ramos, machucado, dificilmente retorna. Nesta quinta, o time ainda pagou caro por lances bobos. Obina reclamou após cometer falta e levou o terceiro cartão amarelo, e Vágner Love foi expulso por uma entrada violenta, já nos minutos finais. Edmílson também levou o terceiro amarelo e está fora. Assim, o time viaja para Pernambuco sem cinco titulares importantes.

O consolo para o Palmeiras acreditar em uma reabilitação no Estádio dos Aflitos é o retrospecto. A equipe alviverde não perde para o time pernambucano desde 1992 - foram sete confrontos, com seis vitórias paulistas e um empate.

A tabela até o fim do campeonato, por sinal, faz o torcedor palmeirense manter a confiança no título nacional, que não vem há 15 anos. Após o jogo no Recife, o Palmeiras terá quatro jogos consecutivos no Estado de São Paulo.

Como mandante, recebe Flamengo e Goiás no Palestra Itália e o Corinthians em Presidente Prudente. A única partida como visitante nesta sequência é contra o Santo André, no ABC. Mesmo assim, jogando no Bruno José Daniel, a equipe certamente terá maioria a seu favor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.