Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras avança em negociações e conta com Libertadores como trunfo

Diretoria aposta em vaga assegurada na fase de grupos da competição para antecipar planejamento para 2018

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

15 Novembro 2017 | 19h08

Ainda sem ter o treinador definido para o próximo ano, a diretoria do Palmeiras já começa a se mexer no mercado para trazer reforços. As duas primeiras contratações estão encaminhadas, ambas para o setor defensivo, e a diretoria espera que com a vaga garantida na Copa Libertadores, possa avançar em outras negociações pretendidas.

+ Por mais premiação, Valentim cobra Palmeiras vice-campeão

+ Felipe Melo e Deyverson serão julgados nesta quinta

O clube considera a presença na fase de grupos do torneio como um grande elemento facilitador no planejamento, inclusive como chamariz para reforços. Depois de fechar com o zagueiro Emerson Santos e o lateral Diogo Barbosa, o Palmeiras sonha em trazer do Santos o meia Lucas Lima e o lateral-esquerdo Zeca.

As investidas no mercado também contemplam o goleiro Weverton, do Atlético-PR. A negociação, porém, é mais complicada, pois o jogador tem contrato até abril e teria de acertar a rescisão. A equipe ainda estuda a vinda de reforços em outras posições, como o ataque.

O diretor de futebol, Alexandre Mattos, está em viagem à Europa. O objetivo é cuidar de possíveis negociações, incluindo oportunidades para venda. Dentro do clube há o desejo de se fazer na próxima janela a contratação de um atleta renomado e experiente.

Até o momento o único jogador confirmado como reforço pelo clube foi o zagueiro Emerson Santos, do Botafogo. Apesar disso, o técnico Alberto Valentim elogiou o lateral cruzeirense Diogo Barbosa e disse que mesmo sem ter a permanência assegurada, participa de indicações de reforços. "O Diogo é um grande jogador. Tivemos algumas conversas para tratar do ano que vem e mesmo quando eu era auxiliar, já participava desses encontros. Estamos atentos ao mercado", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.