Palmeiras bate Coritiba e é o vice-líder

O início do ciclo de Estevam Soares foi tranqüilo. De forma segura, o Palmeiras venceu o Coritiba por 2 a 0 no Parque Antártica. Os gols foram de Vágner Love e Nen. O time paulista assumiu a segunda colocação no Brasileiro com 14 pontos. O medo silencioso no estádio era que Love tenha feito a sua despedida do clube. Na quarta-feira deverá acertar sua ida ao CSKA de Moscou. Ainda traumatizados com a eliminação da Copa do Brasil pelo Santo André, poucos torcedores foram ao estádio para prestigiar tanto a estréia de Estevam como aquele que pode ter sido o último jogo de Vágner Love com a camisa palmeirense. O adversário também não inspirava. O Coritiba de Antônio Lopes começou de forma cambaleante no Brasileiro. Desanimada com a desclassificação precoce na Libertadores, a diretoria não investiu no time. Lopes, treinador conservador e sem imaginação, tratou de montar um esquema forte esquema defensivo. Não se preocupou sequer em preparar contragolpes. O Palmeiras de Estevam já apresentava uma diferença do time de Jair Picerni. O time atacava, mas havia uma preocupação defensiva. Os volantes se revezevam na proteção da zaga, mesmo quando o Palmeiras tinha a posse de bola. Apostando na velocidade e nas bolas paradas, os paulistas foram encurralando o Coritiba. A bola rondava a área, mas o aglomerado de defensores que Lopes colocou em frente ao gol se virava para evitar os gols. De tanto insistir, o Palmeiras marcou graças a Munõz. O velocista atacante cruzou do setor esquerdo na cabeça de Vágner Love. A cabeçada acertou a trave esquerda e voltou acertando a testa do goleiro Fernando e entrou: 1 a 0 aos 35 minutos. ?Nós não demos um chute ao gol. Nunca vi isso no futebol? desabafava Luiz Mário, criticando o esquema de Lopes. Mal o segundo tempo começou e o Palmeiras marcou novamente. Correia cobrou falta e o zagueiro Nen empurrou para as redes ? 2 a 0 logo no primeiro minuto. Com o placar favorável ficou nítida a falta de um meia de armação para tocar a bola e diminuir o ritmo do Palmeiras. O time corria e não produzia nada de útil. O Coritiba tentou reagir, mas não conseguiu. A falta de coragem de Antônio Lopes já tinha ajudado demais Estevam Soares na sua estréia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.