Palmeiras bate Paulista e vence a terceira seguida

A quinta-feira foi de festa para o torcedor do Palmeiras, que viu a sua equipe vencer o Paulista por 3 a 1, no Pacaembu, em partida válida pela quarta rodada do Campeonato Paulista, e, de quebra, o retorno do goleiro Marcos, que não jogava desde setembro de 2010. Com a vitória, a terceira seguida, o time chega aos 10 pontos e assume a segunda posição da competição. O Santos, que possui a mesma pontuação, se mantém na liderança apenas pelo saldo de gols. Já o Paulista, que conheceu sua primeira derrota, continua com sete pontos, na quinta colocação.

ALAN RAFAEL VILLAVERDE, Agência Estado

28 de janeiro de 2011 | 00h06

Além de entrar de vez pela ponta do Paulistão, o Palmeiras mostrou organização tática e a perspectiva de melhora na criação de jogadas com os retornos dos meias Lincoln (machucado) e Valdívia (recondicionamento físico) no decorrer da temporada.

Enquanto os dois meias não retornam, a torcida alviverde comemora a volta de Marcos, mas seu retorno pode ter sido precipitado, já que o goleiro voltou a sentir dores no joelho esquerdo no lance que originou o gol de honra do Paulista, aos 35 minutos do segundo tempo. Foram necessários cinco meses para Marcos se recuperar. Seu último jogo havia sido a derrota por 3 a 2 para o Cruzeiro, no mesmo estádio, pelo Brasileirão. "O importante é que o time ganhou e que eu pude voltar depois de quase cinco meses. O joelho tá ''meio bala'', mas ainda dá para fazer algo", disse.

Independente se a volta do goleiro foi ou não precipitada, os jogadores de linha do Palmeiras trataram de definir o jogo logo na primeira etapa. E o começo da vitória veio numa velha jogada: cobrança de falta de Marcos Assunção. O volante cobrou com extrema facilidade para vencer o goleiro Cristiano, aos 19 minutos.

O gol fez o Paulista se abrir para buscar ao menos o empate. Melhor para o Palmeiras, que, mesmo sem grande criatividade no meio de campo, encaixou bons contra-ataques e num deles saiu o segundo gol, além de um momento único para Rivaldo. O jogador, que atua de forma improvisada pela lateral esquerda, cruzou na medida para a boa conclusão de Kléber, aos 43 minutos. A torcida, feliz com a boa fase, não hesitou e gritou o nome de Rivaldo, que era até então um dos mais criticados.

Com a boa fase vem a confiança. E ela na jogada do terceiro gol. Luan, cada vez mais solto, deu um lançamento da esquerda para o outro lado do campo, nos pés de Cicinho. O lateral-direito por sua vez encontrou Patrick. Ao receber o passe, o meia palmeirense ajeitou a bola para acertar um belo chutado cruzado.

O Paulista ainda diminuiu o placar aos 35 minutos, num gol contra do zagueiro Maurício Ramos, que errou ao tentar tirar a bola de dentro da pequena área. Nada que viesse a atrapalhar a boa noite de sono do torcedor palmeirense. Agora, o clube alviverde enfrenta a Portuguesa no próximo domingo, às 17 horas, no Canindé, enquanto que o time de Jundiaí encara o Linense fora de casa, no mesmo dia, mas às 19h30.

Ficha técnica

Palmeiras 3 x 1 Paulista

Palmeiras - Marcos; Cicinho, Maurício Ramos, Danilo e Rivaldo; Márcio Araújo, Marcos Assunção (João Vítor) e Tinga (Vítor); Luan, Kléber e Dinei (Patrik). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Paulista - Cristiano; Eli Sabiá, João Paulo e Cléber (Fabiano); Bruno Formigoni, Baiano (Fernando Pinto), Fábio Gomes, Roni Dias e Marquinhos; Diego Barboza (Carlão) e Hernane. Técnico: Fernando Diniz.

Gols - Marcos Assunção, aos 19, e Kléber, aos 43 minutos do primeiro tempo; Patrik, aos 21, e Maurício Ramos (contra), aos 35 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Kléber (Palmeiras); Baiano e Bruno Formigoni (Paulista).

Árbitro - Vinícius Furlan.

Renda - R$ 190.452,00.

Público - 6.113 pagantes.

Local - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPaulistãoPalmeirasPaulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.