Palmeiras busca empate e é campeão da Copa do Brasil

Acabou nesta quarta-feira um jejum de 12 anos sem títulos nacionais do Palmeiras. E exatamente na competição que mais tem a cara do seu técnico Felipão: a Copa do Brasil. A taça foi garantida no Couto Pereira, nesta quarta-feira à noite, após empate em 1 a 1 com o Coritiba, vice-campeão pelo segundo ano seguido. O que definiu o título, invicto, acabou sendo mesmo a vitória por 2 a 0 na Arena Barueri, quinta passada.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

12 Julho 2012 | 00h06

Depois de procurar centroavantes confiáveis por anos, o Palmeiras encontrou agora no mínimo um talismã. Betinho, que chegou ao clube depois de desempenho pífio no São Caetano, quase um desconhecido aos 25 anos, foi quem marcou o gol do título, desviando uma falta batida por Marcos Assunção, quatro minutos depois de Ayrton abrir o placar.

O título garante ao Palmeiras a participação na Copa Libertadores do ano que vem. Se serve como esperança, nas últimas duas das três vezes que Felipão ganhou a Copa do Brasil (1994 com o Grêmio, 1998 com o Palmeiras), foi campeão sul-americano no ano seguinte.

O JOGO - Quem esperava uma surpresa de Felipão viu o Palmeiras entrar em campo com o mesmo time prometido. Nem Barcos, nem um quarto volante no seu lugar. Com o 4-4-2 tradicional, a equipe paulista não abdicava de atacar.

Era o Coritiba quem mais agredia, bem organizado por Rafinha e Everton Ribeiro. E, apesar da ausência do suspenso Émerson, era a bola aérea a principal força dos donos da casa. Foi assim que surgiu a primeira chance, com Everton Costa, que mandou por cima do gol, de cabeça.

Só que o Palmeiras também é forte na bola parada. Aos 20 minutos, Marcos Assunção cruzou pela esquerda, o Coritiba errou na linha de impedimento e quatro visitantes ficaram sozinhos na cara de Vanderlei. Menos mal para os coritibanos que Betinho fez feio e mandou para fora.

Mais perigoso foi o chute de Rafinha, aos 28 minutos, quando ele recebeu de Everton Costa e colocou curva na bola, que fez curva e passou raspando a trave de Bruno.

Foi pouco depois disso, aos 37, que o torcedor palmeirense temeu pelo pior. Thiago Heleno sentiu lesão e precisou sair, para entrar Leandro Amaro. Mas o reserva, tantas vezes contestado, não comprometeu.

Com a defesa do Palmeiras funcionando, ficava difícil para o time do técnico Marcelo Oliveira entrar na área. No intervalo, a primeira tentativa de mudança, com Ayrton no lugar de Jonas. Aos 14 do segundo tempo, Sérgio Manoel deu lugar a Lincoln.

Juntas, as duas deram resultado. Lincoln sofreu a falta. E foi Ayrton quem cobrou com perfeição, por sobre a barreira, no canto direito de Bruno, para abrir o placar aos 16 minutos.

Mas o Palmeiras resolveu praticamente na mesma moeda. Marcos Assunção bateu falta na área e um leve desvio de Betinho tirou qualquer chance de defesa de Vanderlei, para deixar tudo igual. Com o gol sofrido em casa, o Coritiba precisava fazer mais três para ser campeão. E tinha 25 minutos para isso.

Num golpe de vista errado de Vanderlei, Marcos Assunção carimbou a trave e quase virou o jogo. O Coritiba também arriscou e Bruno, aos 31, pegou chute perigoso de Everton Ribeiro. Mesmo com Luan se arrastando em campo, o Coritiba, em vantagem numérica, não conseguiu mais nada. Só assistiu a festa palestrina.

FICHA TÉCNICA:

CORITIBA 1 X 1 PALMEIRAS

CORITIBA - Vanderlei; Jonas (Ayrton), Pereira, Demerson e Lucas Mendes; Sérgio Manoel (Lincoln), Willian, Rafinha e Everton Ribeiro; Everton Costa e Roberto (Everton Aquino). Técnico - Marcelo Oliveira.

PALMEIRAS - Bruno; Artur, Maurício Ramos, Thiago Heleno (Leandro Amaro) e Juninho; Henrique, João Vitor (Márcio Araújo), Marcos Assunção e Daniel Carvalho (Luan); Mazinho e Betinho. Técnico - Luiz Felipe Scolari.

GOLS - Ayrton, aos 16, e Betinho, aos 20 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Sandro Meira Ricci (Fifa-DF).

CARTÕES AMARELOS - Rafinha, Lincoln, Henrique, Marcos Assunção, Artur, Juninho e João Vitor.

CARTÃO VERMELHO - Pereira.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.