Palmeiras busca vitória por Valdivia e pela Libertadores

Meia chileno faz aniversário nesta sexta e quer vitória sobre o Paraná, neste sábado, como presente

Juliano Costa, Jornal da Tarde

19 de outubro de 2007 | 21h51

Valdivia fez aniversário nesta sexta-feira. Ganhou dos colegas uma chuva de ovos e farinha na cabeça. Riu muito, mas avisou que o presente de verdade pelos seus 24 anos será a vitória sobre o Paraná, neste sábado, às 18h10, no Palestra Itália. Toda a torcida palmeirense está convidada para a festa. "Tentei correr [da ovada], mas não consegui escapar. Espero que o presente venha neste sábado, com uma vitória sobre o Paraná", disse o chileno. Apesar de fazer gols não ser sua especialidade, Valdivia vai tentar quebrar um jejum de dois meses sem balançar a rede. Ele chegou a ser o artilheiro do Palmeiras no Brasileirão com seis gols, mas acabou superado por Caio, que hoje tem oito. Quando os dois atuam juntos, o aproveitamento de pontos do Palmeiras bate na casa dos 80%, e a ausência de Edmundo, machucado, praticamente nem é sentida. O Animal sofreu uma lesão na perna direita no início de setembro, contra o Goiás. O time perdeu o jogo seguinte (Atlético Paranaense), mas depois embalou - já são cinco partidas invictas. "Se a gente não perder, bate o recorde de invencibilidade no ano", lembra Caio Júnior. O técnico está empolgado com Valdivia e o xará Caio. Questionado sobre o futebol-arte apresentado por Robinho contra o Equador, Caio Júnior abriu um sorriso e puxou a sardinha pra sua brasa. "Aqui no Palmeiras eu sempre incentivo meus jogadores a driblarem. Valdivia, Caio e também o Luiz Henrique têm esse poder de se livrar da marcação com um drible, o que pode fazer a diferença em campo." A torcida sabe disso. E espera fazer a festa com Valdivia. Principalmente porque, com uma vitória sobre o Paraná, o Palmeiras supera seus concorrentes diretos pela vaga na Libertadores (Cruzeiro, Santos e Grêmio) e chega à segunda colocação - pelo menos até domingo, quando os rivais entram em campo. "Cientes do nosso resultado, esses times podem jogar pressionados", prevê Caio Júnior.PalmeirasDiego Cavalieri; Paulo Sérgio, Dininho, Gustavo e Valmir; Wendel, Makelele, Valdivia e Caio; Luiz Henrique e RodrigãoTécnico: Caio JúniorParanáGabriel; Léo Matos, Daniel Marques, Neguette e Márcio Careca; Goiano, Jumar, Robson e Batista; Jeferson e JosielTécnico: Saulo de FreitasÁrbitro: éricles Bassols Pegado Cortez (RJ)Estádio: Palestra ItáliaHorário: 18h10TV: Pay-per-view Terminar a rodada em segundo lugar, em tese, não é difícil, já que Cruzeiro, Santos e Grêmio jogarão fora de casa - enfrentam São Paulo, Figueirense e Flamengo, respectivamente. "Acabar o campeonato em segundo lugar é nosso objetivo", disse o meia Valdivia, na semana passada. "O São Paulo já é campeão", admitiu. Com 51 pontos, o Palmeiras está empatado com o Grêmio, mas perde nos critérios de desempate: tem uma vitória a menos (15 a 14). Santos, com 52 pontos, e Cruzeiro, 53 pontos, estão logo à frente. "São quatro times para três vagas. A disputa será acirrada até a última rodada", prevê Caio Júnior. O técnico calcula que a classificação será possível com 64 pontos - ou seja, precisa conquistar mais 13 nas sete partidas restantes. Quatro vitórias e um empate bastariam. "Temos uma Copa do Mundo pela frente", compara Caio Júnior. "São sete jogos, sete decisões pra gente", emenda o técnico, que ainda não foi chamado para renovar o contrato que termina em dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.