Palmeiras cai em Ribeirão Preto e perde invencibilidade

Mesmo com a derrota, time alviverde continua na liderança do Grupo D

Vítor Marques, Agência Estado

23 de fevereiro de 2014 | 20h45

SÃO PAULO - Caiu o último invicto do Paulistão. O Palmeiras, todo remendado, foi derrotado pelo Botafogo em Ribeirão Preto por 3 a 1, em um jogo que o time de Kleina colecionou erros e perdeu a cabeça.

Experiente, Bruno César entrou no intervalo, jogou meia hora e foi expulso infantilmente. Mas o Palmeiras já perdia por 3 a 1 e ouvia "olé" no Santa Cruz. A chance de buscar o empate, se estava difícil, ficou impossível com dez em campo.

Valdivia, rodeado de reservas, jogou até como o atacante, brigou com zagueiros e produziu menos do que poderia. Mas também não havia com quem jogar. Nenhuma alteração de Kleina no intervalo deu certo.

O Botafogo, que assumiu a liderança do grupo B, com 19 pontos, ganhou o jogo na velocidade, e quando construiu o placar que lhe favorecia, se fechou e terminou a partida tocando a bola como quis.

Gilson Kleina tem um bom álibi para justificar derrota: os desfalques. Dos oito jogadores que não puderam atuar, três fizeram muita falta. Alan Kardec (suspenso), Wesley (com dores musculares) e Leandro (machucado).

Com dificuldade para escalar o time, Kleina montou um meio de campo pesado, com dois volantes, Eguren e França, e muitos armadores, Mendieta, Valdivia, que até tentou fazer o jogo correr, e Marquinhos Gabriel.

Velocidade teve o Botafogo, com Camilo, Marcelo Macedo e Mike. O time de Ribeirão Preto passou a dominar a partida e encurralar o time de Kleina, atacado pelas pontas e pelo meio.

O lateral-esquerdo William Matheus foi determinante nos 3 a 1 do primeiro tempo, embora ele não possa ser considerado o culpado pela derrota.

No primeiro gol, a bola veio da direita e William Matheus não acompanhou Mike, que abriu o placar. Depois William Matheus perdeu uma bola fácil, Camilo disparou e matou Prass, quando o jogo estava 1 a 1.

E o lateral-esquerdo ainda cometeu um pênalti, com a mão na bola. Foi um lance polêmico e muito discutível, assim como tinha sido o pênalti marcado a favor do Palmeiras, batido por Valdivia. Marcelo Macedo cobrou fez o terceiro do Botafogo.

No segundo tempo, Kleina sacou dois jogadores que pouco ou nada produziram. Marquinhos Gabriel e Miguel. E colocou Vinicius e Bruno César.

Valdivia lutou mas a expulsão de Bruno César não estava nos planos. O Palmeiras foi ainda menos efetivo que na primeira etapa. "Fomos apáticos mas perder hoje vai nos fazer bem", disse Valdivia.

O Palmeiras continua folgado na liderança do grupo D, com 23 pontos, e tem a segunda melhor campanha do Estadual. Na quarta-feira, o time recebe o São Bernardo no Pacaembu.

FICHA TÉCNICA - BOTAFOGO 3 x 1 PALMEIRAS

BOTAFOGO - Gilvan; Daniel Borges, Henrique Mattos, Lima e Giovanni; Gilmak (Alex Silva), Hudson, Camilo e Wellington Bruno (Léo); Mike e Marcelo Macedo (Leandro). Técnico: Wagner Lopes.

PALMEIRAS - Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e William Matheus; França, Eguren, Mendieta (Serginho) e Valdivia; Marquinhos Gabriel (Vinícius) e Miguel (Bruno César). Técnico: Gilson Kleina.

GOLS - Mike, aos 20, Valdivia (pênalti), aos 24, Camilo, aos 33, e Marcelo Macedo (pênalti), aos 38 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Gilmak e Gilvan (Botafogo); William Matheus, Bruno César, Valdivia e França (Palmeiras).

CARTÕES VERMELHOS - Alex Silva (Botafogo); Bruno César (Palmeiras).

ÁRBITRO - Robério Pereira Pires.

RENDA - R$ 645.370,00.

PÚBLICO - 16.373 pagantes.

LOCAL - Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.