Alex Silva / Estadão Conteúdo
Alex Silva / Estadão Conteúdo

Palmeiras cobra árbitro de vídeo e divulgação de áudio dos juízes

Em nota oficial, presidente do clube volta a reforçar rompimento com a Federação Paulista e exige transparência

O Estado de S. Paulo

09 de abril de 2018 | 22h02

O Palmeiras voltou a atacar a arbitragem e a Federação Paulista de Futebol (FPF) na noite desta segunda-feira. Em nota oficial publicada no site do clube e assinada pelo presidente Mauricio Galiotte, a equipe voltou a demonstrar descontentamento com a final do Campeonato Paulista, reforçou o rompimento com a FPF e cobrou mudanças na arbitragem da competição.

+ Conselheiros do clube exige utilização dos reservas no Estadual

+ Entidade repudia agressão a repórteres em final

O time contesta a decisão do árbitro Marcelo Aparecido de Souza de ter marcado um pênalti sobre Dudu no segundo tempo e depois, cancelado a marcação. "Houve clara e evidente interferência externa na arbitragem, comprovada através de imagens indiscutíveis, e essa atribuição não consta na regra da competição", diz a nota. O clube promete se considerar rompido com a FPF enquanto a entidade não acatar três sugestões principais sobre a arbitragem.

A primeira delas exige a implantação do árbitro de vídeo no Campeonato Paulista de 2019. A segunda exigência é sobre a gravação e a posterior divulgação das conversas entre os integrantes do quadro de arbitragem durante as partidas. Por fim, o Palmeiras quer uma avaliação mais criteriosa sobre a definição de quem vai apitar nos jogos.

O clube avalia essas mudanças como benéficas à transparência da competição e reiterou a revolta com a arbitragem do domingo. "A Sociedade Esportiva Palmeiras entende que a instituição e seus torcedores sofreram um duro e irremediável prejuízo por uma atuação desastrosa, incompetente e irregular da comissão de arbitragem que trabalhou na partida deste domingo entre Palmeiras e Corinthians", diz o texto.

Leia a nota na íntegra

A Sociedade Esportiva Palmeiras entende que a instituição e seus torcedores sofreram um duro e irremediável prejuízo por uma atuação desastrosa, incompetente e irregular da comissão de arbitragem que trabalhou na partida deste domingo entre Palmeiras e Corinthians.

Houve clara e evidente interferência externa na arbitragem, comprovada através de imagens indiscutíveis, e essa atribuição não consta na regra da competição. Assim sendo, visando a lisura e transparência durante as partidas de futebol, o Palmeiras entende ser inegociável que a Federação Paulista de Futebol adote as seguintes medidas:

1. Implantação do árbitro de vídeo para todas as partidas do Campeonato Paulista a partir do ano de 2019;

2. Criação de um sistema de gravação e divulgação, quando houver necessidade, de toda comunicação entre os integrantes da arbitragem durante os jogos;

3. Reavaliação criteriosa de quem dirige o Departamento de Árbitros da FPF e avaliação mais rigorosa sobre aqueles que comandam as partidas.

Enquanto não houver uma manifestação oficial por parte da Federação Paulista de Futebol, de que essas medidas transparentes que prezam pelo bem do esporte serão adotadas, o Palmeiras irá se manter rompido com a FPF.

Dentro de campo, o Palmeiras considera a partida deste domingo como uma lamentável página virada. Há outras competições pela frente e iremos fazer todo o esforço que estiver ao nosso alcance para conseguirmos conquistá-las. O torcedor palmeirense é peça fundamental nesse processo e seu conhecido engajamento será ainda mais importante.

Avanti Palestra!

Atenciosamente,

SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS

Maurício Precivalle Galiotte

Presidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.