Palmeiras com desfalques na Venezuela

A lista de desfalques do Palmeiras para o jogo de quarta-feira, contra o Deportivo Táchira, pela Libertadores, é longa: Magrão, Juninho Paulista, Washington, Pedrinho, Alceu, Sérgio Gioino, Roger, Diego Souza... Ao todo são três contundidos, um afastado, um negociado e sete não inscritos, sendo cinco contratados depois do início do torneio. O resultado é que a delegação palmeirense na Venezuela tem apenas 18 jogadores, o limite para completar o banco de reservas, mas dois deles voltam de contusão e não estão 100% fisicamente: Daniel e Claudecir. Com isso, o Palmeiras não tem muitas opções para a partida. O técnico Paulo Bonamigo escalará o time com três zagueiros, por falta de volantes, e formará o meio-campo com Marcinho, Correia e Cristian. "É um momento de superação", diz Correia. "Quem entrar tem de saber que é uma decisão." Deslocado para a lateral-direita pelo ex-técnico Candinho e agora de volta à posição de origem, o volante terá a responsabilidade de armar o Palmeiras ao lado do meia Cristian, que virou reserva no Brasileiro após a chegada de Juninho Paulista. Confiante, Cristian aposta na vitória e na volta ao time titular. "Não teremos problemas. Para mim, é uma chance ótima e me sinto apto", afirma. Terceiro técnico do clube no ano, Bonamigo está indeciso sobre a dupla de ataque para quarta, uma vez que não pode usar Washington, não inscrito. O treinador quer decidir logo a vaga para não correr o risco de ter ainda mais desfalques na última partida da equipe na primeira fase, contra o Cerro Porteño, no Palestra Itália, dia 12. "Estamos no limite do grupo. É fundamental conseguir aqui a classificação porque na segunda fase vamos poder inscrever mais três atletas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.