Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras começa temporada com o pior aproveitamento do ataque em 30 anos

Com sete gols em oito partidas no Campeonato Paulista, equipe repete início ruim obtido em 1988

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2019 | 04h30

Havia muito tempo em que o torcedor do Palmeiras não comemorava gols da equipe com tamanha raridade em um início de ano. Afinal, nos oito primeiros jogos de 2019 a equipe marcou somente sete vezes. A falta de criação de jogadas, a pouca pontaria e a sequência de partidas com o placar zerado fazem a atual temporada ter o pior rendimento ofensivo no clube nos últimos 30 anos.

Nos oito primeiros compromissos oficiais das últimas temporadas o Palmeiras sempre conseguiu marcar mais gols. Só no ano passado, por exemplo, o time já tinha balançado as redes adversárias 14 vezes nesta época da temporada. Em 2019, a equipe comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari acumula dois jogos seguidos com empates sem gols, uma derrota de 1 a 0 para o Corinthians e duas vitórias pelo placar mínimo sobre Botafogo e Oeste.

Na história do Palmeiras o começo de ano sempre foi marcado por gols. A largada no Campeonato Paulista costumou ser pontuada por goleadas e bons momentos ofensivos. O ápice disso foi na histórica campanha do título estadual de 1996. Após oito partidas, o time comandando pelo técnico Vanderlei Luxemburgo havia conseguido a incrível marca de 

33 gols.

Porém, o início de 2019 tem mostrado um ineficiência rara na produção ofensiva da equipe. A marca de sete gols nos oito primeiros jogos da temporada só tem como comparativo mais recente o início do calendário oficial em 1988. Naquele ano, o Palmeiras também teve no começo do ano os mesmos números (sete gols em oito partidas) e tinha campanha idêntica no Campeonato Paulista, com aproveitamento de 62,5%.

Em 1988 o Palmeiras começou a temporada dirigido pelo técnico João Avelino, para depois escolher Rubens Minelli. O time tinha nomes conhecidos como o goleiro Zetti, o zagueiro Toninho Cecílio e o meia Edu Manga. Os mais acionados para jogar no ataque no início de temporada foram Bizu, Ditinho Souza e Mauro. 

Apesar do momento ruim do ataque, o Palmeiras investiu bastante no setor. A diretoria conseguiu manter o principal jogadores, Dudu, e ainda se reforçou na janela de transferências com nomes como Ricardo Goulart, Felipe Pires, Carlos Eduardo e Arthur Cabral.

A necessidade do Palmeiras de melhorar o setor ofensivo surge com urgência pela proximidade com a Copa Libertadores. A equipe estreia na competição continental já na próxima semana, quando vai enfrentar na Colômbia o Junior Barranquilla. Antes disso, porém, o time tem compromisso na quarta-feira diante do Ituano, no Allianz Parque, pelo Campeonato Paulista.

Para Entender

Guia do Paulistão 2019: tudo o que você precisa saber sobre a competição

Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo vão iniciar competição com menos de três semanas de pré-temporada

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.