Palmeiras confia na ?Bombonera Verde?

Contestado por muitos, o técnico Celso Roth poderá, amanhã, começar a fazer história no Palmeiras. Se o time passar pelo Boca Juniors e, quinta-feira, o Cruz Azul chegar à final da Libertadores, o Alviverde estará garantido em Tóquio, na decisão do Mundial Interclubes, pela segunda vez na história. "Sem dúvida, é uma partida importantíssima." O Palestra Itália receberá 30 mil pessoas amanhã, às 21h40. No primeiro confronto entre brasileiros e argentinos, houve empate por 2 a 2, em Buenos Aires. Nova igualdade levará a decisão para os pênaltis. Roth implorou pelo apoio dos torcedores, obteve resposta rápida, mas faz um apelo: paciência. "Os argentinos catimbam, ficam pedindo falta e, por isso, temos de ir com calma, é preciso que o torcedor tenha paciência", afirmou. Todos no Palmeiras têm consciência de que a Bombonera Verde - alusão ao estádio do Boca, La Bombonera - pode se transformar num inferno verde caso o gol demore a sair. Por isso, pedem a colaboração do torcedor. O treinador escalará um time cauteloso, com três volantes, Magrão, Flávio e Galeano. Lopes será, mais uma vez, deslocado para o ataque, ao lado de Fábio Júnior. Felipe, mesmo com dores no tornozelo direito, deve jogar e Muñoz, mesmo com uma contusão no tornozelo esquerdo, ficará no banco de reservas. Roth e os jogadores aprovaram a escalação do colombiano Oscar Ruiz como juiz da partida, embora o Boca sempre tenha conseguido bons resultados quando ele atuou, como em Tóquio, no ano passado, contra o Real Madrid.

Agencia Estado,

12 de junho de 2001 | 19h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.