César Greco/Foto Arena
César Greco/Foto Arena

Palmeiras consegue empate heroico contra o Atlético-PR

Keirrison marca gol no último minuto e garante o resultado de 2 a 2 dentro da Arena da Baixada

André Rigue, estadao.com.br

20 de junho de 2009 | 18h13

Um jogo incrível na Arena da Baixada. Com um gol de Keirrison no último minuto, o Palmeiras empatou com o Atlético-PR por 2 a 2, neste sábado, e evitou uma pressão maior sobre o técnico Vanderlei Luxemburgo. O resultado deixou o alviverde com 12 pontos, em quarto lugar - o clube pode sair do G-4 do Brasileirão neste domingo, caso o Santos ganhe do Atlético-MG.

Veja também:

link Após empate, Keirrison comemora gol na casa do ex-rival

linkLuxemburgo destaca força de reação do Palmeiras

som  Ouça os gols na Eldorado/ESPN: Palmeiras 0 x 1; Palmeiras 1 x 1; Palmeiras 1 x 2; Palmeiras 2 x 2

lista Baixe o papel de parede dos mascotes do Brasileirão

especialVisite o canal especial do Brasileirão

especialJogue o Desafio dos Craques

lista Brasileirão - Calendário

tabela Brasileirão - Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Sem poder contar com o zagueiro Danilo, que não pôde enfrentar o Atlético-PR por motivos contratuais, Luxemburgo decidiu abrir mão do esquema com três zagueiros para jogar no 4-4-2. Jumar foi o escolhido para atuar na marcação do meio-campo ao lado de Pierre. Wendel continuou na lateral-direita.

O Palmeiras começou bem a partida e criou uma boa chance logo aos 8 minutos. Diego Souza fez lindo passe para Keirrison. O atacante entrou na área livre, mas errou no momento do chute e bateu fraco. Vinícius fez a defesa. O 'K9' é um dos perseguidos da torcida Mancha Alviverde ao lado de Luxemburgo.

Apesar de ter o maior volume de jogo, o Palmeiras não conseguiu criar muitas jogadas ofensivas - mesmo problema da partida contra o Nacional (URU), pela Libertadores. A melhor chance no primeiro tempo foi aos 37 minutos. Wendel roubou bola, invadiu a área e chutou. O goleiro atleticano espalmou - Willians apareceu livre na jogada, mas não recebeu o passe.

Entre as últimas posições do Brasileirão, o Atlético-PR só conseguiu chegar em falhas do alviverde e na bola parada. Assim, o clube deu um grande susto aos 38 minutos. O veterano Paulo Baier recebeu na área após desvio. Ele finalizou para o gol, mas Marcos deu um tapa salvador - no Sport, Baier passou em branco ao enfrentar Marcos pela Libertadores.

Diego Souza recebeu uma cotovelada de Rafael Santos no fim da etapa inicial e teve de sair. Na volta para o segundo tempo, Luxemburgo decidiu apostar em Obina. Willians, em tarde pouco inspirada, também saiu. Ortigoza entrou e o Palmeiras passou a atuar com três atacantes.

Contudo, foi o Atlético-PR que abriu o placar. Aos 7 minutos, Paulo Baier cobrou falta e levantou na área. Rafael Santos apareceu livre, sem marcação, e cabeceou para o fundo das redes de Marcos. O gol atleticano irritou Luxemburgo, que pouco depois colocou Deyvid Sacconi na vaga de Jumar.

 Atlético-PR2
Vinícius; Rhodolfo, Antônio Carlos     e Rafael Santos    ; Zé Antônio (Renan), Valencia, Rafael Miranda, Paulo Baier     (Wesley) e Márcio Azevedo; Rafael Moura     e Marcinho (Manuel)
Técnico: Waldemar Lemos
 Palmeiras2
Marcos; Wendel    , Maurício Ramos    , Marcão e Armero; Pierre    , Jumar (Deyvid Sacconi), Cleiton Xavier e Diego Souza (Obina); Willians     (Ortigoza) e Keirrison
Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Gols: Rafael Santos, aos 7, Obina, aos 22, Marcinho, aos 34, e Keirrison, aos 48 minutos do segundo tempo

Árbitro: Alicio Pena Junior (MG)

Público: 18.068 pagantes

Estádio: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Criticado pelos gols perdidos contra o Nacional, Obina foi o responsável por conseguir o empate. Aos 22 minutos, Vinícius recebeu recuou de bola e acabou cometendo uma lambança. O goleiro perdeu a bola para Obina e viu o atacante palmeirense tocar para o fundo das redes: 1 a 1.

O Palmeiras teve chance para virar o marcador. Obina, Keirrison e Ortigoza apareceram com liberdade na área, mas pecaram nas finalizações. O Atlético-PR agradeceu para fazer o segundo. Aos 34 minutos, Marcinho cobrou falta no ângulo esquerdo de Marcos, que não teve chances.

Obina teve um gol legal anulado por impedimento. Ortigoza acertou a trave, mas o placar de igualdade só foi alcançado aos 48 minutos. Marcos foi para o ataque e o Palmeiras teve escanteio. Após bate-rebate incrível dentro da área, Keirrison bateu forte para o gol. O 2 a 2 foi comemorado como uma vitória pelo grupo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.