Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras conta com invencibilidade de Mano no Allianz Parque para manter sequência

Treinador jamais perdeu no estádio e acumula 60% de aproveitamento dos pontos disputados

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

13 de setembro de 2019 | 11h00

O treinador Mano Menezes é um aliado para o Palmeiras continuar no bom momento e conseguir derrotar o Cruzeiro neste sábado, pelo Campeonato Brasileiro, no Allianz Parque. Recém-contratado como comandante do time alviverde, ele jamais perdeu no estádio em cinco partidas disputadas, com o retrospecto particular de duas vitórias e três empates.

Grande parte dessa sequência foi construída principalmente na época em que dirigia o Cruzeiro. O time mineiro foi a casa de Mano por três anos e sempre conseguiu tirar pontos do Palmeiras na arena. Parte desses resultados foram importantes inclusive para decidir dois confrontos da Copa da Brasil, um em 2017 e outro em 2018. Nos dois anos o Cruzeiro levou a melhor e terminou a competição com o título.

Mano teve a primeira passagem pelo Cruzeiro em 2015. Naquele ano, o treinador foi ao Allianz Parque também pela primeira vez e empatou por 1 a 1, pelo Campeonato Brasileiro. Na sequência desse trabalho, ele dirigiu o Shandong Luneng, da China, durante parte da temporada 2016 e depois voltou ao clube mineiro em julho daquele ano para iniciar um trabalho de três anos.

O treinador regressou ao Allianz Parque em 2017 para duas partidas. Pela Copa do Brasil, houve empate por 3 a 3, pelo confronto de ida das quartas de final. Já pelo Campeonato Brasileiro, os times ficaram no 2 a 2. Um outro encontro foi no ano passado, com vitória cruzeirense por 1 a 0 pela partida de ida da semifinal da Copa do Brasil.

O primeiro jogo de Mano como técnico do Palmeiras no Allianz Parque aumentou o retrospecto positivo dele no estádio. Na última terça-feira, a equipe bateu o Fluminense por 3 a 0, pelo Campeonato Brasileiro, e consolidou tanto a invencibilidade dele como o aproveitamento de 60% dos pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.