Palmeiras contabiliza o prejuízo

A diretoria do Palmeiras se reuniu nos últimos dias para analisar as necessidades do elenco e para fazer um balanço das finanças do clube. A conclusão foi de que o primeiro semestre não poderia ser pior financeiramente. Além do prejuízo de no mínimo R$ 10 milhões com o cancelamento do Mundial de Clubes da Fifa, o Alviverde deixou de ganhar pelo menos mais R$ 5 milhões com a desclassificação da Copa Libertadores da América nas semifinais, somando o valor pago pela Conmebol aos finalistas, arrecadação e o prêmio que a Pirelli, nova patrocinadora, pagaria pelo título, conforme prevê o contrato que vai durar dois anos.Otimista, o presidente Mustafá Contursi apostou nessa cláusula do acordo para aumentar a receita do clube. A empresa italiana desembolsará US$ 2 milhões por ano, valor considerado baixo, mas pagará, também, por cada conquista. Neste ano, restaram o Campeonato Brasileiro e a Copa Mercosul.A derrota para o Boca Juniors afetou também a Pirelli. A multinacional e o clube planejavam anunciar oficialmente o acerto após a partida da última quarta-feira e apresentar a nova camisa com a logomarca do patrocinador. Assim, o Palmeiras estrearia o uniforme já nos jogos decisivos da competição sul-americana.No fim de 2000, a diretoria palmeirense comemorava o equilíbrio financeiro do clube. Tinha mais de R$ 40 milhões acumulados, enquanto a maioria tentava "driblar" as dívidas. Hoje, porém, esse valor diminuiu em mais de 50%. Por esse motivo, Mustafá não promete reforços de peso para o segundo semestre.O jogador que está mais próximo do Palestra Itália é o meia Robert, do Santos, e o negócio pode ser fechado nos próximos dias. Para que ele seja contratado, o Palmeiras deverá ceder o atacante Tuta e mais um volante, possivelmente Claudecir.Robert, atacante do Botafogo de Ribeirão Preto, e Marquinhos, lateral-esquerdo do Goiás, também interessam. Um meia e um lateral são as prioridades, porque Felipe e Alex estão deixando o clube.Sebastião Lapola iniciará nesta semana os trabalhos no Palmeiras, ao lado de Américo Faria na diretoria de futebol do clube. Ele estava nos Emirados Árabes e retornou ao Brasil na última semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.