José Luis Silva| Código 19
José Luis Silva| Código 19

Palmeiras dá novo vexame e é goleado pelo Água Santa

Técnico Cuca chegou à 4ª derrota em 4 jogos à frente do clube

Nathalia Garcia, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2016 | 18h09

A aflição do torcedor do Palmeiras não teve fim neste domingo. O time foi goleado pelo Água Santa por 4 a 1, em Presidente Prudente, e se vê cada vez mais ameaçado no Campeonato Paulista. Vaias da torcida e gritos de "time sem-vergonha" no alambrado deram o tom da goleada sofrida no Estadual. Teve até invasão de campo no fim do primeiro tempo, quando um palmeirense foi ao gramado pedir raça ao elenco.

O resultado também foi dolorido para o técnico Cuca, que somou a sua quarta derrota consecutiva em quatro jogos no comando da equipe - revés para o Nacional, na Libertadores, e quedas diante de Audax e Red Bull Brasil no Paulistão. O treinador, que chegou para colocar fim à instabilidade vivida pela equipe com Marcelo Oliveira, já se vê pressionado em 13 dias de trabalho.

O tropeço deixou o Palmeiras com 15 pontos na tabela e derrubou o time para a lanterna do Grupo B, atrás de Ituano, Novorizontino (ambos com 18), Ponte Preta e São Bernardo (com 16). A situação é ainda mais grave: o time começa a flertar com a zona de rebaixamento, está a 3 pontos do Oeste, 15º colocado.

O JOGO

Com sete desfalques, o Palmeiras entrou em campo contra o Água Santa apostando em uma nova formação para aliviar a pressão e afastar a crise. Thiago Santos ganhou a vaga de Jean, e Edu Dracena assumiu o posto de capitão pela primeira vez. 

Logo no primeiro minuto de jogo, Robinho arriscou de fora da área e acertou a trave de Dheimison, quase sobrando rebote para Allione. O início da partida parecia animador para a torcida do Palmeiras em Presidente Prudente. Allione dando perigo pela esquerda, Erik aparecendo bem nas jogadas, pressão na saída de bola do adversário e iniciativa do jogo.

Mas o Água Santa estava disposto a surpreender. Aos 34 minutos, Danilo Tarracha partiu em velocidade pela esquerda até levar um corte de Edu Dracena, que evitou que o rival chegasse com perigo ao gol de Fernando Prass. A bola saiu para escanteio. Na cobrança, Gustavo correu sem marcação e cabeceou livre para abrir o placar para a equipe de Diadema.

O time de Cuca tentou não esmorecer e até encontrou um bom contra-ataque com Allione. Erik fez uma boa jogada, passou por Russo e cruzou para o meio da área, a bola escapou de Robinho e Rafael Marques finalizou mal, desperdiçando uma ótima chance de deixar tudo empatado.

O Palmeiras somava 62% de posse de bola, contra apenas 38% do Água Santa. Aos 41 minutos, Egídio cobrou falta dentro da área e, no meio da confusão, Edu Dracena foi ao chão. O ábitro deu pênalti e cartão amarelo para Russo. Robinho bateu forte no meio do gol para empatar para o Palmeiras. Apreensivo, o técnico Cuca fez o sinal da cruz quando o jogador converteu a penalidade.

A torcida do Palmeiras ainda comemorava no momento em que Everaldo saiu em disparada pelo lado esquedo. Lucas não alcançou o rival, que tocou na saída de Fernando Prass para colocar o Água Santa novamente na frente. A time de Diadema cresceu no jogo.

Aos 48, no bate e rebate, Pedro lançou para Bruninho. O jogador, em posição irregular, correu sozinho, driblou Prass e ampliou para o Água Santa. Teve até dancinha para comemorar os 3 a 1 sobre o Palmeiras. No último minuto dos acréscimos, um torcedor alviverde invadiu o gramado e foi rapidamente retirado de campo. A torcida do Palmeiras não perdoou e começou a vaiar o time.

No intervalo, Cuca sacou Lucas e Thiago Santos e deu oportunidade para João Pedro e Régis mostrarem serviço. O Palmeiras esboçou reação em Prudente, mas sentia dificuldade na conclusão das jogadas no início da segunda etapa. 

O Alviverde criou uma oportunidade com Erik, mas o atacante caiu na área depois de passar por Pedro. Aos 15 minutos, o jogador foi substituído por Zé Roberto, encerrando as mudanças promovidas pelo técnico para tentar evitar um vexame.

Aos 22 minutos, a vida do Palmeiras ficou ainda mais complicada. Em cobrança de escanteio, Roger Carvalho cabeceou contra o próprio gol. O Água Santa marcava  4 a 1 no placar em Presidente Prudente.

A última boa chance do jogo foi também do mandante. Aos 40, Everaldo tabelou com Francisco Alex, que bateu colocado na trave, para alívio de Fernando Prass. Allione se destacou em campo, mas não conseguiu evitar a derrota desastrosa do Palmeiras.

FICHA TÉCNICA

ÁGUA SANTA 4 x 1 PALMEIRAS

ÁGUA SANTA: Dheimison; Pedro, Gustavo, Eli Sabiá e Danilo Tarracha (Bruno Ré); Russo, Sérgio Manoel, Francisco Alex e Tchô (Rafael Tavares); Bruninho (Éder Loko) e Everaldo. Técnico: Márcio Bittencourt.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas (João Pedro), Edu Dracena, Roger Carvalho e Egídio; Arouca, Thiago Santos (Régis) e Robinho; Allione, Erik (Zé Roberto) e Rafael Marques. Técnico: Cuca.

GOLS: Gustavo, aos 34, Robinho, aos 43, Everaldo, aos 44, e Bruninho, aos 48 minutos do primeiro tempo; Roger Carvalho (contra), aos 22 minutos da segunda etapa.

ÁRBITRO: Leandro Bizzio Marinho.

CARTÕES AMARELOS: Russo, Edu Dracena, Egídio e Bruno Ré.

PÚBLICO: 2.821 pagantes

RENDA: R$ 149.950,00

LOCAL: Estádio Prudentão, em Presidente Prudente (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.