Palmeiras decide nesta terça punição para Kléber e Denilson

Diretoria e comissão técnica devem punir os atletas indisciplinados com multa após expulsão contra o Goiás

Vitor Marques - Jornal da Tarde,

22 de julho de 2008 | 09h30

Diretoria e comissão técnica do Palmeiras decidem nesta terça-feira, na reapresentação da equipe, qual será a punição ao jogadores Kléber e Denílson, expulsos na derrota por 3 a 2 para o Goiás, no domingo. O mais provável é que os atletas indisciplinados sejam multados. "Vamos nos reunir e decidir sobre algum tipo de penalidade, pode ser uma multa, pode ser só uma conversa. Está nas mãos da comissão técnica", afirma o diretor de futebol Genaro Marino. Veja também: Elder Granja não sabe quando retorna ao Palmeiras O caso mais grave é o do atacante Kléber, recordista em expulsões no campeonato. Esse foi o terceiro cartão vermelho recebido pelo atleta em dez jogos deste Brasileiro. Ele pode pegar de dois a seis jogos pela expulsão no Serra Dourada. Kléber deu um pontapé no zagueiro Rafael Marques fora do lance de jogo. O árbitro Alício Pena Júnior, que não havia dado cartão amarelo para o jogador, o expulsou de campo por agressão, depois de consultar o auxiliar. Denílson conseguiu receber o cartão vermelho por reclamar da arbitragem quando o jogo já havia sido encerrado. Genaro Marino fala em descontrole emocional, e sugere que os atletas adotem outra postura em dentro de campo para dar um basta nos chamados cartões "bobos". "Se os juízes estão sendo muito rigorosos, eles (jogadores) têm de apreender a se virar em campo. Às vezes, acho que falta inteligência emocional", analisa. "O que eles precisam entender é que prejudicaram a equipe nas vésperas de um clássico importante." Na quinta-feira, o time pega o Santos, no Palestra Itália. A diretoria descartou, no entanto, a adoção de medidas drásticas, como o afastamento de algum atleta ou a instituição, a partir de agora, de uma punição para cada jogador advertido com cartão. "Se estabelecermos uma regra geral poderá haver injustiças. O juiz pode cometer um erro e ai teríamos de punir o atleta. Isso só geraria mais problema. É melhor analisarmos caso a caso", afirma o vice presidente Gilberto Cipullo. O dirigente é um dos que lamentaram mais uma expulsão de Kléber. Mas, ainda assim, saiu de defesa do jogador. "Não ficou claro que ele agrediu o atleta. Alguém viu o lance pela TV?", questiona. Cipullo diz ainda que o clube não se arrependeu de ter, recentemente, renovado o empréstimo de Kléber junto Dínamo de Kiev (Ucrânia), apesar de o jogador se envolver em constante em confusões. "É muito bom jogador." NO TRIBUNAL Kléber deve ser julgado pelo artigo 254 (praticar jogada violente) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que prevê pena de dois a seis jogos de suspensão. Essa é a terceira expulsão do jogador só neste Brasileiro. Nas duas vezes anteriores, Kléber foi absolvido. "A denúncia deve ser feita nesta semana. Como ele foi absolvido nas duas outras expulsões, acho que ele está mais para pegar a pena mínima, que a máxima. Depende de cada auditor", afirmou o procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt. Como o julgamento só deve ser realizado na semana que vem, Kléber cumpre suspensão contra o Santos e pode voltar ao time diante do Grêmio, no domingo, em Porto Alegre. 

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasKléberDenilson

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.