Palmeiras derrota Criciúma por 3 a 2

Em um jogo emocionante, o Palmeiras voltou a vencer em casa, depois de duas derrotas consecutivas, e, com os 3 a 2 sobre o Criciúma, de virada, neste sábado à noite, chega aos 78 pontos, na quarta colocação, e fica muito próximo da repescagem da Copa Libertadores da América. Caso o São Caetano não recupere os 24 pontos que o STJD lhe tirou por causa da morte de Serginho, disputará a vaga na competição sul-americana contra o desconhecido Tacuary, do Paraguai. No próximo fim de semana encerra a participação no Brasileirão enfrentando o Fluminense, no Rio.O Palmeiras quase marcou no começo do jogo. Aos oito minutos, Lúcio arriscou de fora e Roberto, atento, mandou para escanteio. Mas o Criciúma, desesperado para tentar fugir da zona do rebaixamento, não se assustou. Em sete minutos, levou perigo ao gol de Diego Cavallieri em bolas cruzadas. Parecia ser a melhor forma de chegar à meta palmeirense.A torcida do Palmeiras, que não compareceu em grande número (4 mil pessoas), não demorou para começar a criticar os alvos prediletos: Lúcio, Diego Souza e Thiago Gentil. Necessitando do gol, o Criciúma seguia apostando nos cruzamentos. E deu certo. Aos 26 minutos, o atacante Vágner Carioca aproveitou cobrança de escanteio, ganhou da defesa e, de cabeça, abriu o placar.Mas o Palmeiras não sentiu o gol. No minuto seguinte, Lúcio recebeu a bola e, enquanto era mais uma vez xingado pela torcida, cruzou. Marcinho, na segunda trave, empatou, de primeira. Um belo gol.Depois do empate, o Palmeiras melhorou e quase marcou com Thiago Gentil. Magrão, aos 35, cruzou na cabeça do atacante, que tocou para fora. O time de Santa Catarina ainda teve uma chance para marcar, mas Diego Cavallieri mandou para escanteio um chute de fora da área de Cléber Gaúcho. "Tivemos poucas oportunidades", disse o volante Marcinho, no intervalo da partida. "E a torcida fica um pouco revoltada. A gente sabia que ela ia cobrar, mas precisa ter um pouco de paciência."No intervalo, Estevam Soares decidiu abrir mão do esquema defensivo com três zagueiros. Sacou Gabriel e colocou o meia Elson. Aos três minutos, André Rocha cruzou e Osmar, perdeu uma boa chance - chegou atrasado para a bola. Elson, aos oito, fez boa jogada, arrancou e tocou para Lúcio. O lateral cruzou para Diego Souza, no meio da área, mandar para fora.Foram raras as vezes em que o Criciúma tentou alguma coisa no segundo tempo. Em 20 minutos, apenas uma chance, com Vágner Carioca. O Palmeiras, apesar de mais volume de jogo, não descia com tanto perigo. A torcida continuava a pegar no pé dos jogadores e do técnico Estevam Soares. O treinador foi xingado quando sacou o lateral-direito André Rocha e colocou o atacante Ricardinho. Queria atacar ao máximo o Criciúma, que, à medida em que o tempo passava, abandonava ainda mais o ataque. Segundo o treinador Lori Sandri, alguns atletas sentiram a pressão pela má fase do time, que terá de lutar até a última rodada contra o rebaixamento.E o time catarinense pagou caro. Aos 37 minutos, o Palmeiras conseguiu a virada. Em uma cobrança de falta, Elson mandou a bola na cabeça de Thiago Gentil, que desta vez não desperdiçou: 2 a 1 para o Palmeiras. Mas o Criciúma acordou e empatou com Toninho, aos 45. Quando o empate parecia definitivo, Ricardinho ainda teve tempo para desempatar, aos 47: 3 a 2. A Copa Libertadores não é mais um sonho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.