Palmeiras derrota Flamengo de virada

O atacante Itamar levou o Palmeiras à vitória, de virada, por 3 a 2, hoje, no Palestra Itália, pelo Torneio Rio-São Paulo, na volta de Vanderlei Luxemburgo como técnico do Alviverde. Além de ter sofrido o pênalti que deu origem ao empate, Itamar marcou o gol da vitória. O atacante saiu de campo bastante elogiado e já começa a virar ídolo da torcida. "Graças a Deus comecei bem, com o pé direito. A vitória vai me dar condição para crescer no Palmeiras´, disse o atacante. Mas Luxemburgo pede calma com o jogador. ´Não vamos achar que o Itamar já é a solução. Claro, que ele é muito bom, chuta bem, mas tem muita coisa para corrigir", disse o treinador sobre o atacante que há duas semanas chegou sem badalação do Iraty, depois de disputar o Campeonato Brasileiro pelo Goiás. Itamar realmente "inflamou" o time do Palmeiras ao entrar em campo, no intervalo, no lugar de Adriano. Com seu jeito meio desengonçado, mas com passadas largas, partindo para cima dos adversários, o atacante abriu a defesa adversária. O Flamengo começou o jogo tentando se impor em campo na base do toque de bola. Com jogadores técnicos como Juninho Paulista, Leonardo e Petkovic, e explorando os laterais Alessandro e Cássio quando tinha a posse da bola, a equipe carioca deu a impressão que iria "passear" no Palestra Itália. O Palmeiras, que não contava com atletas com essas qualidades, vivia mais na empolgação, nos passes em profundidade para Muñoz e Adriano tentar levar vantagem na velocidade. Essa situação ficou mais evidente a partir dos 7 minutos, quando o Flamengo fez 1 a 0 em uma cobrança de falta com maestria de Leonardo. Não houve nem tempo para o goleiro Marcos chegar na bola. O gol assustou o Palmeiras. O meia Lopes era o único que demonstrava habilidade, mas não podia resolver tudo sozinho. A melhor jogada, antes do gol do empate, havia ocorrido em uma cobrança de falta de Arce. A partir dos 25 minutos, o Flamengo cedeu espaço. Já não tocava a bola com freqüência. Assim, o Palmeiras avançou e começou a dar trabalho para a dupla de zaga adversária Juan e Fernando. Aos 33 minutos, o time paulista empatou: após uma cobrança de falta, Lopes pegou o rebote e fez o passe para Adriano. Este tocou a bola para Muñoz completar a jogada para o gol. O Flamengo diminuiu o ritmo no segundo tempo. Seus principais jogadores, demonstrando cansaço, caso específico de Petkovic não conseguiram criar jogadas de ataque. O Palmeiras era melhor em campo, mas aos 24 minutos foi surpreendido pelo gol de desempate de Juninho Paulista, que chutou de fora da área. Marcos foi um pouco tarde para a defesa, por isso não evitou o gol. Mas o Palmeiras não se esmoreceu. Sob o comando de Itamar, a equipe foi para o ataque, e aos 26 minutos, o atacante sofreu pênalti. Dois minutos, Arce cobrou e empatou novamente a partida. O jogo ficou, então, do jeito que o Palmeiras queria, com o adversário cansado e o time paulista no ataque. Assim, o time da casa, apoiado pela torcida, obteve a vitória aos 37 minutos; depois da tentativa de Magrão de finalizar a jogada, a bola sobrou para Itamar que completou para o gol. O Flamengo não teve raça para evitar a derrota.

Agencia Estado,

20 de janeiro de 2002 | 18h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.