Palmeiras derrota Portuguesa e assume liderança do Paulistão

Atacante Jorge Preá marca aos 48 minutos do segundo tempo e deixa time de Palestra Itália próximo da vaga

André Rigue, estadao.com.br

26 de março de 2008 | 23h50

O Palmeiras derrotou na noite desta quarta-feira a Portuguesa por 1 a 0, com um gol do atacante Jorge Preá nos acréscimos do segundo tempo. Com o resultado, o time assumiu a liderança do Campeonato Paulista, com 34 pontos, e ficou muito próximo de garantir classificação à fase semifinal da competição - o Guaratinguetá, que joga nesta quinta contra o Mirassol, pode passar o alviverde se vencer. Veja também: Classificação Calendário e Resultados Jorge Preá: 'Gol é o resultado do trabalho' Portuguesa lamenta vacilo no último minuto no Palestra A suada vitória no Palestra manteve uma série invicta do Palmeiras no Paulistão. Agora são dez jogos sem derrota. O resultado, de quebra, deixou outra marca impressionante de pé: o clube venceu os últimos seis jogos, feito que só o Santos pode alcançar, uma vez que ganhou cinco seguidas com a vitória desta quarta sobre o Corinthians. O alviverde jogou sem o atacante Kléber, suspenso por três partidas por ter dado uma cotovelada no zagueiro André Dias, do São Paulo - ele só poderá atuar nas semifinais do Paulistão. O zagueiro Henrique, na seleção brasileira, foi substituído por David - ele só retorna ao time no próximo sábado, contra o São Caetano. Se vencer o rival do ABC no sábado, em jogo que também acontecerá no Palestra Itália, o Palmeiras chegará a 37 pontos e garantirá matematicamente a classificação. Já a Portuguesa deu adeus à possibilidade de se classificar com a derrota desta quarta-feira. MARCAÇÃO TOTALSabedor do poder ofensivo do Palmeiras, o técnico Vagner Benazzi, que completou 100 jogos no comando da Portuguesa, armou um esquema mais ofensivo, privilegiando a marcação no meio-campo. Mesmo assim, o time alviverde começou com liberdade para atacar e criou boas oportunidades. 251 jogos na história entra Palmeiras e Lusa120 vitórias do Palmeiras (457 gols)67 empates64 vitórias da Portuguesa (325 gols) A principal delas aconteceu aos 21 minutos. Léo Lima deu ótimo passe para o atacante Alex Mineiro, que girou o corpo, se livrou da marcação e bateu forte. A bola tirou tinta da trave esquerda do goleiro André Luiz. Com o lance, a torcida achou que o gol sairia ainda no primeiro tempo. No entanto, Benazzi adiantou a marcação, que passou a pressionar Valdivia e Diego Souza. Os dois ficaram presos e não conseguiram criar jogadas. Assim, a Portuguesa cresceu e ameaçou o gol de Marcos. O time do Canindé só não abriu o placar porque o volante Pierre tirou uma bola em cima da linha, aos 30 minutos. Devido à forte marcação da Portuguesa, o técnico Vanderlei Luxemburgo ficou irritado com a arbitragem e pediu maior rigor de José Henrique de Carvalho. O treinador reclamou tanto que quase não viu Alex Mineiro perder um gol incrível aos 43 minutos. O atacante recebeu passe de Valdivia, ficou livre na área, mas chutou de canela. Palmeiras1Marcos; Elder Granja, David, Gustavo     e Leandro; Pierre    , Léo Lima     (Martinez), Diego Souza e Valdivia; Denilson (Lenny) e Alex Mineiro     (Jorge Preá)Técnico: Vanderlei LuxemburgoPortuguesa0André Luiz    ; Patrício, Marco Aurélio, Halisson (Júlio Santos) e Bruno Recife; Dias    , Erick    , Carlos Alberto    , Ramon     (Vaguinho) e Claudecir     (Miltinho); RogérioTécnico: Vagner BenazziGols: Jorge Preá, aos 48 minutos do segundo tempo Árbitro: José Henrique de CarvalhoRenda: R$ 510.730,00Público: 19.060 torcedoresEstádio: Palestra Itália, em São PauloÁGUA MOLE EM PEDRA DURA...Luxemburgo não deu bronca apenas na arbitragem. Nos vestiários, o treinador também chamou a atenção dos jogadores - principalmente Denilson, apagado. E o Palmeiras começou o segundo tempo novamente no ataque. A Lusa, de novo, na marcação e nos contra-ataques. Apesar de ser o artilheiro do Palmeiras no Paulistão, com nove gols, Alex Mineiro precisa de mais calma no momento das finalizações. Não bastasse o gol perdido no primeiro tempo, o atacante desperdiçou outra grande oportunidade aos 7 minutos da etapa final. Em ótima troca de passes, Diego Souza deixou Alex Mineiro na cara do gol. O atacante parou a bola, olhou para o goleiro e finalizou para fora. A torcida não acreditou no gol perdido pelo artilheiro. Luxemburgo tentou furar o bloqueio da Lusa com os atacantes Jorge Preá e Lenny. O time, porém, continuou sem conseguiu criar jogadas pelo meio e teve de forçar a jogada aérea, nos cruzamentos de Leandro e Elder Granja. Sem homens altos no ataque, o Palmeiras teve muitas dificuldades. Contudo, existe um famoso ditado que pôde ser utilizado neste jogo: 'água mole em pedra dura, tanto bate até que fura'. E aos 48 minutos do segundo tempo, num bate rebate dentro da área, Jorge Preá utilizou a cabeça para marcar e explodir de alegria o Palestra. Novamente a estrela de Luxemburgo brilhou ao apostar no jogador.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasPortuguesaPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.