Palmeiras descarta dar 'mala branca' na reta decisiva

O Palmeiras não depende apenas de suas próprias forças para escapar do rebaixamento no Brasileirão. Precisa ganhar os três jogos que faltam e ainda torcer por uma combinação de resultados. Mas a diretoria palmeirense já tratou de descartar a possibilidade de dar "mala branca", incentivo financeiro para que outros times vençam seus adversários que lutam para não cair.

DANIEL BATISTA, Agência Estado

13 de novembro de 2012 | 19h01

Na 36ª rodada, por exemplo, o Palmeiras torce por Ponte Preta, Grêmio e Botafogo, que enfrentam, respectivamente, Bahia, Portuguesa e Sport, os outros que lutam contra o rebaixamento no Brasileirão. Assim, esses times de Campinas, Porto Alegre e Rio seriam potenciais candidatos a receber uma eventual "mala branca" palmeirense no domingo. Mas o clube paulista nega tal prática.

"Não gosto disso. Sei que existe no futebol, mas eu sou contra. Queremos cair ou permanecer pelos nossos próprios méritos", afirmou o gerente de futebol do Palmeiras, César Sampaio, que chegou a dizer que usar a "mala branca" "não seria digno da grandeza do Palmeiras". "Temos de pagar o preço da nossa incompetência e não podemos transferir responsabilidade", completou o dirigente.

Faltando apenas três rodadas para o final do campeonato, o Palmeiras está na 18ª colocação, com 33 pontos. E disputa com outros três times para ver quem ficará com as duas últimas vagas entre os rebaixados: Portuguesa (40 pontos), Bahia (40 pontos) e Sport (37 pontos). Por enquanto, Atlético-GO e Figueirense já tiveram a queda para a Série B de 2013 matematicamente assegurada.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasCésar Sampaio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.