Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras deve retomar rodízio de titulares após pausa do calendário

Tática usada em 2018 pode reaparecer nos próximos jogos do time antes da parada para a Copa América

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

18 de abril de 2019 | 04h30

A uma semana do próximo compromisso no calendário, o Palmeiras se prepara para repetir nas próximas semanas a estratégia de sucesso do ano passado. Depois de repetir a base do time nos últimos confrontos, a tendência é a equipe do técnico Luiz Felipe Scolari voltar a adotar o rodízio de titulares, assim como fez ao longo do segundo semestre de 2018.

A sequência de decisões pelo Campeonato Paulista e pela Libertadores levou a equipe a repetir vários nomes nesses compromissos. Jogadores como Diogo Barbosa, Bruno Henrique, Dudu e Deyverson atuaram seguidamente nas quatro últimas partidas do time, enquanto Weverton, Gustavo Scarpa e Ricardo Goulart estiveram presentes em três desses compromissos.

A tendência agora é o rodízio ser restaurado. A partir do dia 25, quando entrar em campo contra o Melgar, do Peru, pela Copa Libertadores, o Palmeiras vai começar uma série de 13 jogos em 47 dias. A maratona só vai terminar em junho, às vésperas do início da Copa América. O Campeonato Brasileiro será interrompido para a disputa do torneio de seleções.

A série do Palmeiras vai contemplar compromissos pelo Brasileiro, assim como as duas partidas finais da fase de grupos da Libertadores e as oitavas de final da Copa do Brasil. A sequência, portanto, será pesada e deve exigir de Felipão a escolha por mudar o time para cada jogo, a exemplo do realizado no ano passado.

Em 2018 o Palmeiras escalava uma formação para o meio de semana e outra para o fim de semana. Geralmente apenas o goleiro Weverton era mantido. A pausa no calendário servirá justamente para a comissão técnica avaliar as opções e recuperar jogadores machucados, para que isso amplie o repertório para montar as escalações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.