Palmeiras: dificuldades para ter Alex

O Palmeiras abriu contagem regressiva para a volta de Alex ao Parque Antártica. A contratação do jogador pode ocorrer até o fim da semana, mas uma dívida de quase US$ 2 milhões que o clube italiano tem com o atleta é um dos entraves para o desfecho da negociação. "Claro que queremos o Alex, mas não será fácil como se imagina", disse o diretor de Futebol do Palmeiras Sebastião Lapola. "Se depender do jogador e da nossa vontade, a contratação será definida logo. "Mas há muita coisa para ser resolvida." O empresário do atleta, Fernando César é um dos mais otimistas. Ele garante que a contratação de Alex pelo Palmeiras estaria na dependência de um telefonema do presidente do clube do Parque Antártica, Mustafá Contursi para o presidente do Parma, pedindo autorização para acertar um contrato com o jogador. O Palmeiras não quer criar atrito com o clube italiano, ainda por conta do relacionamento que o Alviverde teve com a Parmalat, na época da co-gestão. "A transferência do Alex para o Palmeiras pode ocorrer a qualquer momento", disse hoje Fernando César. "Estou realmente contando com a volta do jogador para o Parque Antártica. É o que ele e a diretoria do Palmeiras querem." Alex está sem clube desde que ele deixou o Cruzeiro, após o Campeonato Brasileiro. O jogador havia conseguido na justiça do Trabalho o direito de se desvincular do Parma para atuar em qualquer outro clube, como explica o advogado do meia, Mafuz Antonio Abrão, que ganhou a ação a favor do jogador na justiça do Paraná. O Parma havia pago apenas uma parcela dos 15% sobre US$ 14 milhões, que correspondia ao valor do passe. Os US$ 2,1 milhões teriam que ser pagos a Alex em três parcelas de US$ 700 mil cada. Mas o clube italiano pagou apenas uma parcela. Portanto, o jogador ficou de receber os outros US$ 1, 5 milhão. Com outros encargos, a dívida do Parma com o jogador chega quase a US$ 2 milhões. Para jogar novamente pelo Palmeiras ou em qualquer outro clube, Alex teria de resolver essa situação com o Parma, que entrou na Fifa para recorrer contra o recurso que o atleta havia ganho na justiça brasileira. "Hoje ele pode defender qualquer clube," garantiu o advogado ao afirmar que Alex está protegido pela legislação brasileira, embora ele tenha sido contratado pelo Parma. "Como ele não jogou na Itália, só aqui no Brasil, a Lei Pelé beneficiou o jogador, assim que ele ganhou a rescisão do contrato com o clube italiano", disse Mafuz. Enquanto o Palmeiras fica no compasso de espera para a contratação de Alex, a equipe segue treinando em regime de concentração em Águas de Lindóia. O técnico Vanderlei Luxemburgo, por enquanto, mantém a prioridade na preparação física do elenco, para depois começar a adotar o esquema tático.

Agencia Estado,

07 de janeiro de 2002 | 18h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.