Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Palmeiras 'dispensa' Crefisa e gasta apenas R$ 8 milhões na janela

Clube muda de postura na busca por reforços para 2018 e aposta somente em contratações pontuais

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

29 de dezembro de 2017 | 07h00

O Palmeiras vai se apresentar na próxima semana para a pré-temporada com um balanço bem diferente sobre a janela de transferências. O clube foi na contramão da lógica dos períodos anteriores de contratação ao não acionar a Crefisa para contribuir na vinda de atletas, gastar bem menos e trazer jogadores com a política de resolver pendências pontuais no elenco.

+ Contratação de Mina gera polêmica no Barcelona

+ Leia as últimas de esportes

Em comparação à janela anterior, entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017, a mudança é nítida. O Palmeiras iniciou a última pré-temporada, em janeiro, com cinco atletas contratados e cerca de R$ 32 milhões investidos nessas operações. Na próxima semana o técnico Roger Machado vai começar o trabalho também com cinco novas opções, que foram trazidas, no entanto, por R$ 8 milhões.

Até o momento o Palmeiras investiu R$ 6 milhões no lateral Diogo Barbosa e R$ 2 milhões para tirar o goleiro Weverton do Atlético-PR. Duas contratações foram sem custo, com jogadores em fim de contrato, como o zagueiro Emerson Santos (Botafogo) e o meia Lucas Lima (Santos). A quinta novidade foi a troca por empréstimo de uma temporada com o Atlético-MG pelo lateral Marcos Rocha. Em contrapartida, Róger Guedes vai se apresentar ao time alvinegro.

A diretoria planejou nesta janela de transferências fazer poucas contratações. O clube entendeu ser preciso mexer apenas em posições mais carentes, como as laterais, pois nos demais setores considerou não precisar de grandes mudanças. Outras negociações especuladas nas últimas semanas, como o meia Gustavo Scarpa e o meia Ricardo Goulart, seriam mais como oportunidades de mercado do que soluções para problemas no time.

Ao contrário de janelas anteriores, desta vez o Palmeiras não procurou a Crefisa. A patrocinadora costuma aceitar a consulta para ajudar em contratações e após ter investido mais de R$ 100 milhões em negociações anteriores, neste último período a empresa não precisou contribuir para a vinda de jogadores.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasRoger Machado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.