Palmeiras: domingo será um jogo diferente contra o Vasco

Após vitória nesta quarta pela Sul-Americana, os dois times voltarão a se enfrentar, agora, pelo Brasileirão

Redação,

18 de setembro de 2008 | 09h27

O técnico do Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo, acredita que a partida de domingo contra o Vasco, pelo Campeonato Brasileiro, será totalmente diferente do jogo desta quarta-feira, vencida pelo time paulista por 3 a 0 no Estádio Palestra Itália, válida pela Copa Sul-Americana.  Veja também:Palmeiras vence e garante vaga nas oitavas da Sul-Americana Luxemburgo elogia grupo e Tita pede demissão do Vasco Roque Júnior começa a treinar no Palmeiras Copa Sul-Americana – Classificação, calendário e resultados Ouça os gols de Palmeiras x Vasco no Território Eldorado Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão "A história é completamente outra. Eles brigam para sair da zona de rebaixamento e nós lutamos pelo título", assinalou. Para ele, a vitória na competição continental foi importante para manter a auto-estima do grupo. "Se nós tivéssemos perdido aqui todas as perguntas seriam de como seria o comportamento domingo contra o Vasco. Não podemos deixar de viver o bom momento". DIEGO SOUZALuxemburgo também falou sobre o caso do meia Diego Souza, que pode ser punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por uma suposta agressão contra o volante Fabrício na partida de domingo contra o Cruzeiro no Mineirão, vencida pelo Palmeiras por 1 a 0. O palmeirense não foi punido pela arbitragem na hora do lance, mas o vídeo será analisado pelo Tribunal. "Futebol quando há disputa de bola na área você abre o braço e o outro vem. Quantas vezes já abriu supercílio de jogador e não foi intencional. Agora qualquer coisa já vai chamar o Tribunal. Tem que tomar cuidado com isso. Dessa maneira o futebol não vai mais poder ter choque. Esta denúncia do Diego Souza é um pouco perigosa", alertou.  ARBITRAGEMDe acordo com Luxemburgo, os árbitros dos jogos decisivos no Brasileirão têm que ser aqueles com mais experiência. "Os árbitros Fifa é que tem que apitar estas partidas, a experiência deve prevalecer nessa hora, não pode colocar um árbitro que apitou dois jogos", assinalou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.