Palmeiras e Botafogo inspiram a Portuguesa

O sucesso de Palmeiras e Botafogo na Série B do Campeonato Brasileiro servirão de inspiração para que a Portuguesa retome seus melhores dias. Esse é o pensamento do técnico Dario Pereyra, que assumiu nesta terça-feira o comando da Portuguesa - e a difícil missão de montar a equipe para o Campeonato Paulista. "O Palmeiras fez um excelente trabalho. Com uma equipe relativamente barata, montou um bom conjunto, trabalhou em silêncio e chegou ao título", lembrou Dario. "Espero ter o mesmo sucesso na Portuguesa, porque acredito no projeto do clube e na qualidade da minha comissão técnica." Com passagens por São Paulo, Corinthians, Coritiba, Guarani, Atlético-MG e Paysandu, Dario foi nome de consenso entre a diretoria da Portuguesa e a Ability Sport & Management, empresa de marketing esportivo que terceirizou o departamento de futebol profissional do Canindé. Também chegaram ao clube, com contrato válido por um ano, o preparador físico José Roberto Portella, o auxiliar de preparação Wanilton Zambroti e o treinador de goleiros Toinho.Nem bem assumiu o cargo, o ex-zagueiro do São Paulo e da seleção uruguaia sabe dos problemas que terá pela frente: com a dispensa da maioria dos jogadores que disputou a Série B do Brasileiro, o elenco ficou reduzido a cerca treze atletas. Além disso, o treinador terá menos de dois meses para arrumar o time para o Campeonato Paulista, a partir de 21 de janeiro. "O começo será mesmo difícil, pois precisamos fazer contratações e montar um novo elenco. Mas sou otimista e acredito que poderemos chegar às finais", afirmou Dario, que pretende ter o elenco definido até 15 de dezembro.Apesar das preocupações, Dario recebeu duas boas notícias, já que a diretoria acertou a renovação de contrato do goleiro Gléguer e do volante Capitão, alguns dos únicos jogadores que não pertencem à Portuguesa e serão mantidos no elenco em 2004. De acordo com os dirigentes, as contratações serão feitas de comum acordo entre a comissão técnica e a Ability Sports - dona dos direitos federativos de 60 atletas das Séries A e B do Brasileiro. "A empresa não quer fazer do clube uma vitrine de jogadores. Queremos montar uma equipe forte", disse Henrique Taveira, representante da Ability em São Paulo.Na próxima semana começam os testes e treinos físicos e técnicos para o elenco no Canindé. Em janeiro, a equipe fará dez dias de pré-temporada, em local a definir, fora de São Paulo. A participação do clube num torneio amistoso na Turquia foi descartada. "Ainda não temos time e só perderíamos tempo na nossa preparação", disse o coordenador de futebol José Teixeira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.