Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras e Crefisa oficializam renovação e miram verba de R$ 410 milhões

Contrato válido por três temporadas tem investimento anual de R$ 81 milhões e bônus por títulos

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

23 Janeiro 2019 | 12h49

Palmeiras e Crefisa assinaram nesta quarta-feira o novo contrato de patrocínio master. Anunciante da camisa do clube desde 2015, a empresa terá agora um acordo válido por três anos e com a possibilidade de repassar ao cofre alviverde um valor de R$ 410 milhões ao fim do período. O valor será atingido caso a equipe cumpra a meta de conquistar todos os títulos possíveis até o fim de 2021.

A assinatura do contrato foi firmada pelo presidente do Palmeiras, Mauricio Galiotte, e pela presidente da Crefisa, Leila Pereira, que revelou os números do acordo. Serão R$ 81 milhões anuais, mais R$ 15 milhões de luvas pela assinatura da parceria, outros R$ 6,8 milhões em propriedades de marketing (ajuda no salário de atletas) e uma premiação por temporada no valor de R$ 34 milhões para a soma dos torneios em disputa. 

Cada um dos títulos em disputa pelo Palmeiras na temporada tem no contrato um valor fixado como premiação a ser pago pela patrocinadora. Esse molde estava previsto já no acordo anterior, válido entre 2017 e 2018. Pelo título brasileiro do ano passado, por exemplo, o clube embolsou da Crefisa o prêmio de R$ 10 milhões. Também há recompensas para as outras competições do calendário e por vaga na Copa Libertadores.

"Mais do que um patrocínio, estamos falando de uniformes, propriedades de marca, de luvas, de premiação por performance. Vai além de um patrocínio de camisa. Queria deixar aqui minha mensagem de orgulho e agradecimento. Nossos objetivos são muito grandes, e um patrocínio importante é fundamental para o Palmeiras atingir os objetivos", disse Galiotte em entrevista coletiva na Academia de Futebol.

Pelo acordo anterior, o Palmeiras recebeu em 2017 cerca de R$ 72 milhões e mais R$ 78 milhões em 2018. Leila explicou que além de torcer pelo clube, o investimento traz exposição e divulgação da marca tanto da Crefisa como da sua outra empresa, a Faculdade das Américas (FAM). "Nossa empresa sempre foi grande anunciante na mídia, mas nada se compara à camisa do Palmeiras. A visibilidade ultrapassou os limites do Brasil. Foi por paixão, mas nossa marca, com a marca Palmeiras, fez nossas receitas subirem ainda mais", afirmou.

Galiotte explicou que o investimento da Crefisa será destinado na maioria para o departamento de futebol, porém o clube pretende também reforçar a aplicação da verba em outros esportes. Segundo o presidente, o Palmeiras não é dependente apenas da verba da patrocinadora e enumerou outras fontes de receita como bilheteria, sócio-torcedor e vendas de produtos oficiais como responsáveis por fazer o clube projetar um orçamento de R$ 650 milhões em 2019.

Para Entender

Guia do Paulistão 2019: tudo o que você precisa saber sobre a competição

Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo vão iniciar competição com menos de três semanas de pré-temporada

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.