Cesar Greco/Palmeiras
Cesar Greco/Palmeiras

Palmeiras e Flamengo terão trajetória tranquila; Corinthians e Atlético-MG também não podem reclamar

Detentores dos três últimos títulos caíram em grupos fáceis na Copa Libertadores. Alvinegros dependem só de fazer bem a sua parte para ter caminhada sem problemas na competição

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2022 | 14h01

Palmeiras, campeão das duas últimas Libertadores, e Flamengo, vencedor em 2019, se deram bem no sorteio de grupos da edição deste ano. Ambos caíram em chaves fáceis, e são fortes candidatos a fazer a melhor campanha desta fase. O Corinthians também não pode reclamar, apesar de ter o Boca Juniors pela frente, considerando-se que se classificam dois times para as oitavas de final. Atlético-MG e Athletico-PR também deverão ter trajetórias relativamente tranquilas. Para Red Bull Bragantino, América-MG e Fortaleza a previsão é de caminhada mais complicada.

Cabeça de chave do Grupo A, o Palmeiras só vai enfrentar adversários fracos. O  equatoriano Emelec e o boliviano Oriente Petrolero não têm boas equipes, assim como o Deportivo Tachira. O maior problema do Alviverde deverá ser ao visitar os venezuelanos, mas isso mais pelas dificuldades de deslocamento até a cidade de San Cristóbal.

No Grupo B, o Athletico deverá ter no Libertad, do Paraguai, um rival complicado. O The Strongest não é nenhuma potência, mas costuma colocar obstáculos quando joga em casa.  Porém, para o time paranaense não é um obstáculo intransponível. O Caracas é o mais fraco da chave.

O Red Bull Bragantino não deu sorte com seus adversários do Grupo C. Pega dois argentinos, Vélez Sarsfield e Estudiantes, que costumam ir bem em fases de grupo. E o Nacional do Uruguai, embora já há muito não tem a força do passado, mas tem tradição e costuma se valer disso e da garra para se impor ao menos quando joga em casa. É a chave mais equilibrada, pode ser considerada por aqueles que gostam de classificações, como o grupo da morte.

O Grupo D reserva o clássico mineiro entre Atlético e América. Talvez essa seja a maior dificuldade para o Galo, embora o Independiente del Valle equatoriano normalmente seja um duro adversário. Mas o time de Hulk é muito superior aos rivais da chave, sobretudo o Tolima, da Colômbia. Deve conquistar fácil o primeiro lugar. Já o América terá de suar muito para seguir em frente.

O Corinthians, se conseguir engrenar nas mãos de Vitor Pereira, tem boas chances no Grupo E. O principal adversário é o Boca Juniors, que tem um time razoável, além da tradição. Outro complicador são os cerca de 4 mil metros de altitude que enfrentará na Bolívia ao visitar o Always Red. Mas em casa não deverá ter dificuldade contra nenhum adversário, até porque o Deportivo Cali, vice-lanterna do Campeonato Colombiano, só deverá fazer número.

Estreante em Libertadores, o Fortaleza vai encarar uma parada dura no Grupo F. River Plate é um adversário de peso e o atual Colo Colo não deve ser desprezado. Para chegar às oitavas terá de lutar muito e não pode nem pensar em perder pontos para o fraco Alianza de Lima.

O Flamengo não terá problemas se fizer sua parte com seriedade no Grupo H.  Sporting Cristal peruano, Talleres argentino e Universidad Católica chileno não são adversários à altura do Rubro-Negro. As chances de fazer uma das melhores campanhas da fase de grupos são bem grandes.

No único grupo sem brasileiros, o G, não há uma grande equipe. Mas os paraguaios Olímpia e Cerro Porteño brigarão por um vaga. A outra deve ficar com o Peñarol. O representante da Argentina, o Cólon, é zebra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.