Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Palmeiras e Lucas Lima alinham discurso para apagar passado polêmico

Clube e jogador tentam minimizar provocações e fazem esforço para cativar a torcida

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

04 Janeiro 2018 | 07h00

O meia Lucas Lima vestiu nesta quarta-feira a camisa 20 do Palmeiras e iniciou a passagem pelo novo clube focado em dois objetivos. Conquistar a vaga de titular e ganhar títulos, uma meta tão importante para ele quanto superar a desconfiança da torcida.

+ Barcelona envia proposta para contratar Mina

+ Clube se reapresenta com três baixas

O ex-jogador do Santos se notabilizou nos últimos anos por provocar o agora time atual. Em 2016, por exemplo, Lucas Lima ironizou no Twitter a derrota do Palmeiras por 4 a 1 diante do Água Santa. "É tudo isso mesmo?", escreveu. Na mesma rede social ele ainda debochou da eliminação do rival na Copa Libertadores daquele ano.

A partir de agora, porém, tudo isso terá de fazer parte do passado. O meia assinou contrato por cinco anos e durante a entrevista coletiva reiterou ter deixado para trás esse histórico polêmico. "Meu coração agora é verde", disse.

Lucas Lima e o clube têm se mobilizado para quebrar possíveis resistências. O meia tem sido ativo nas redes sociais para declarar apreço ao Palmeiras, com mensagens e ações como desbloquear torcedores do time que o haviam xingado.

O auge da rivalidade foi em 2015. Pouco depois de marcar o pênalti decisivo para o título paulista do Santos sobre o Palmeiras, o jogador tatuou na perna a cena em que beija a bola antes de efetuar a cobrança. "É uma tatuagem que diz quem sou eu. Não tem o símbolo de nenhuma equipe, é um momento meu e não está direcionado a nenhum time. É uma particularidade minha", minimizou.

A postura com o Palmeiras mudou, mas o temperamento, não. Lucas Lima cogita continuar ativo nas redes sociais para desta vez provocar como palmeirense. "A provocação é natural. Então, vamos ver o que acontece na hora", disse. 

Na apresentação, uma das respostas dele causou polêmica. O meia mencionou ter entre as motivações no novo clube jogar em estádios lotados, o que soou para alguns torcedores como ataque ao Santos.

No Palmeiras a recepção dos colegas foi positiva. O clube também fez ações nas redes sociais para marcar a chegada de Lucas Lima e diminuir possíveis animosidades, ao divulgar vídeos do primeiro dia dele no time. "Estou do lado de vocês. Vamos zoar todo mundo juntos agora", disse o meia em depoimento a TV Palmeiras.

Presente à apresentação, o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, afirmou que o jogador se esforçou para assinar com o clube. "Ele fez de tudo para estar no Palmeiras. No estafe dele, mais da metade das pessoas queriam que ele saísse do País. O Lucas foi fundamental para estar aqui", contou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.