Palmeiras e Pirelli mais próximos

A parceria entre Palmeiras e Pirelli está cada vez mais evidente. A empresa, fabricante de pneus, fios e cabos elétricos, deu uma demonstração de suas intenções ao adquirir por R$ 7 milhões uma das cotas de patrocínio das transmissões da Taça Libertadores da América pela TV Bandeirantes. As transmissões esportivas da Bandeirantes são controladas pela empresa Traffic, do empresário J. Hawilla, que, além da Libertadores, também é dono dos direitos do Mundial Interclubes da Fifa. O Palmeiras será o único representante do Brasil no Mundial, a ser disputado na Espanha entre 28 de julho e 12 de agosto.Mesmo sob protestos de sua torcida, que pedia futebol mais ofensivo, o Palmeiras - campeão da Libertadores em 1999 e vice no ano passado - garantiu a classificação para as oitavas-de-final do torneio ao vencer o Sport Boys por 3 a 0, quarta-feira à noite, no Parque Antarctica. Especula-se que a Pirelli pagará US$ 12 milhões por um contrato de dois anos com o Palmeiras. Os números não são confirmados oficialmente pelas partes. O compromisso de longo prazo foi uma das exigências do presidente Mustafá Contursi ao negociar com a empresa italiana, que também patrocina a Internazionale, de Milão, clube do brasileiro Ronaldo. A assinatura do acordo deverá acontecer na próxima semana. A empresa não quer falar sobre o assunto antes do contrato assinado.Além de contar com a parceria da Pirelli, uma empresa globalizada e de prestígio, Mustafá Contursi sonha com o título mundial como forma de internacionalizar mais a marca Palmeiras e fazer caixa para a concretização do grande sonho do clube, a cobertura de seu estádio, transformando o Palestra Itália num grande palco para eventos. O clube que ganhar o título mundial levará US$ 7 milhões de prêmio. Ao vice, caberão US$ 5,5 milhões. O terceiro colocado terá direito a US$ 4,5 milhões e o quarto, US$ 3,5 milhões. Mesmo quem for eliminado na primeira fase levará US$ 2,7 milhões em prêmios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.