Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras e Ponte Preta ficam no empate em jogo fraco pelo Paulistão

Condição ruim do gramado prejudica as duas equipes em 0 a 0 no Moisés Lucarelli, em Campinas

Dani Arruda, especial para O Estado de S. Paulo

18 de fevereiro de 2018 | 21h39

Ponte Preta e Palmeiras empataram por 0 a 0, neste domingo, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Foi o segundo empate consecutivo do alviverde, que mantém a invencibilidade no Paulistão, chega aos 20 pontos na liderança do Grupo C, e com a melhor campanha na classificação geral. 

+ TEMPO REAL - Ponte Preta 0 x 0 Palmeiras

+ TABELA - Confira a classificação do Paulistão

A Ponte Preta segue sem vencer em seu estádio nesta temporada. Em quatro jogos, empatou dois e perdeu outros dois. O time divide a liderança do Grupo B com o São Paulo, ambos com 10 pontos, mas a Macaca soma uma vitória a menos: 3 a 2.

Na próxima rodada, o Palmeiras faz o clássico contra o Corinthians, sábado, às 17h, na Arena alvinegra. No domingo, às 19h30, a Ponte Preta encara o Mirassol, fora de casa. 

Antes de a bola rolar, os jogadores do Palmeiras foram ao banco da Ponte Preta abraçar o técnico Eduardo Baptista, que por 23 vezes, foi treinador palmeirense no primeiro semestre do ano passado.

Roger Machado encarou a Ponte Preta de olho no Corinthians. Por isso, optou por começar o confronto com Felipe Melo (pendurado com dois cartões amarelos) no banco, como alternativa tática. Roger sabe que, mesmo com o bom trabalho no começo de temporada, uma derrota para o rival incomoda e vai gerar críticas.

As condições climáticas não ajudaram. A chuva forte que caiu em Campinas durante o dia encharcou o gramado. Com poças d'água espalhadas pelo campo, e receosas em cometer erros, as duas equipes abusaram dos passes longos no ataque, das tentativas pelas laterais e chutões na defesa, o que comprometeu a qualidade técnica até metade do primeiro tempo. 

Quem também esteve de olho no gramado do Moisés Lucarelli foi o Corinthians. Nesta segunda-feira, no mesmo estádio, a equipe de Fábio Carille enfrenta o Red Bull, com as condições do campo prejudicadas pela partida realizada menos de 24 horas antes. 

Com o gramado fora do ideal e a marcação forte de ambos os times, as melhores chances foram através de chutes de fora da área. Aos 15 minutos, Orinho arriscou e Jaílson fez bela defesa no ângulo esquerdo. Aos 28, Tchê Tchê soltou a bomba e por muito pouco não acertou o gol ponte-pretano.

“O campo está muito ruim de fazer o jogo que a gente está acostumado. É tentar caprichar do lado que está mais seco. Nosso time é muito leve, o deles também”, lamentou o atacante Dudu, no intervalo do jogo.

No segundo tempo, a qualidade do jogo melhorou, o Palmeiras espremeu a Ponte Preta em seu campo de defesa, mas não conseguiu o gol. Guerra teve duas chances no mesmo lance, aos 15 minutos. Primeiro entrou sozinho na área e chutou para boa defesa de Ivan; na sobra, dentro da pequena área, chutou pela linha de fundo.

FICHA TÉCNICA

PONTE PRETA 0 x 0 PALMEIRAS

PONTE PRETA: Ivan; Emerson, Renan Fonseca, Luan Peres e Orinho; João Vitor (Ronaldo), Jeferson, Marciel e Léo Artur (Gabriel Vasconcelos); Felipe Saraiva (Daniel) e Fellipe Cardoso. Técnico: Eduardo Baptista.

PALMEIRAS: Jailson; Marcos Rocha, Thiago Martins, Antônio Carlos e Michel Bastos (Victor Luis); Thiago Santos; Guerra (Keno), Tchê Tchê e Lucas Lima (Bruno Henrique); Dudu e Willian. Técnico: Roger Machado.

Cartões Amarelos: João Vitor, Marciel e e Fellipe Cardoso (Ponte Preta); Michel Bastos e Antônio Carlos (Palmeiras).

Renda: R$ 56.810,00.

Público: 3.401 pagantes.

Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo.

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.