Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Palmeiras e Santo André empatam: 1 a 1

Nem parecia que estavam em jogo três pontos para um torneio continental. Palmeiras e Santo André mostraram futebol feio e acanhado na noite desta quarta-feira, no Palestra Itália, e ficaram no 1 a 1. Merecia ter sido 0 a 0. O público, talvez prevendo a falta de diversão, ficou em casa. Só 8.365 pagantes, número também não digno de uma partida de Copa Libertadores da América.Sem qualidade nem ousadia, os dois acabaram punidos. O Palmeiras, que era líder isolado do Grupo 4 do torneio, foi a cinco pontos e pode perder o primeiro posto no dia 7, quando o Cerro Porteño recebe o Deportivo Táchira e encerra a 3ª rodada da chave. O Santo André tem dois pontos e segue na lanterna, ameaçado de não passar da 1ª inicial da primeira Libertadores de sua história.A boa notícia da noite para os palmeirenses foi a volta de Pedrinho, que começou como titular, criou boas chances, fez um golaço e agüentou até o final, com raça na ajuda à defesa. O meia vinha entrando no intervalo e jogava bem, mas não reunia condição para 90 minutos. Nesta quarta-feira, mesmo com boa parte do jogo sob chuva, correu bastante e não reclamou de cansaço. Deve ser titular no clássico de domingo, contra o Corinthians, pelo Paulistão.Pedrinho à parte, o primeiro tempo desta quarta-feira foi horroroso. Exceto por duas boas iniciativas do 10 palmeirense pela esquerda, o jogo concentrou-se no meio-campo, com faltas e muitos passes errados das duas equipes.Aos 28 minutos, o Santo André acordou num chute de longe do meia Ramalho. Marcos espalmou. Aos 35, Diego Souza quase fez, mas a zaga do Ramalhão desviou. Perto do intervalo, Osmar, na primeira partida contra seu ex-clube, teve duas chances. Primeiro, arrancou, driblou, preparou o chute e tropeçou na bola. Depois, recebeu de Diego Souza e chutou no canto, mas Júlio César pegou.No segundo tempo, o jogo ameaçou melhorar, mas a chuva atrapalhou. Pedrinho, de novo, criou alguma emoção com chutes fora da área. Ricardinho e Lúcio tentaram imitá-lo, sem pontaria. Aos 31, enfim, uma bela jogada. Correia ergueu da meia-direita, Pedrinho esperou a bola quicar e bateu de primeira, de esquerda. A bola ainda bateu no travessão antes de entrar. Seis minutos depois, o Santo André foi em massa ao ataque e, após bate-rebate na área, Rafinha empatou em bola desviado por Marcinho. De resto, mais jogo feio. Os dois voltam a se enfrentar em 19 de abril. Espera-se que com melhor futebol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.