Cesar Greco;Ag. Palmeiras
Cesar Greco;Ag. Palmeiras

Palmeiras e Santos fazem confronto direto para manter busca ao título

Rivais se enfrentam pelo Campeonato Brasileiro com o intuito de briga pela vice-liderança e continuar caça ao Corinthians

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

30 de setembro de 2017 | 07h00

Nas duas últimas temporadas, Palmeiras e Santos decidiram Campeonato Paulista, Copa do Brasil, vaga em final e foram, respectivamente, campeão e vice do Brasileiro do ano passado. Neste sábado, no Allianz Parque, a partir das 19h, mais uma vez os rivais travam outra disputa, desta vez pelo direito de continuar na caça ao líder, Corinthians.

+ CBF confirma mais dois jogos do Palmeiras no Pacaembu

O confronto direto vale a segunda posição na tabela e a oportunidade de manter viva a esperança de título. Com o Santos dez pontos atrás do primeiro colocado e o Palmeiras com 11 de desvantagem, o clássico vai terminar com o time derrotado ainda mais longe dessa possível reviravolta na tabela.

O vice-líder Santos e o quarto colocado Palmeiras sentem a importância do momento como mais um dos episódios causadores do aumento da rivalidade. A torcida acompanha essa trajetória acirrada e deve lotar o estádio. Até ontem haviam sido vendidos 35 mil ingressos.

"Isso se intensificou porque os dois passaram a jogar partidas decisivas. E sempre tem uma tiração de sarro quando acaba um jogo ou outro, isso fica marcado. E são coisas boas que o futebol propicia. Quando fica saudável, faz bem", disse o técnico alviverde Cuca.

Os rivais se tornaram inimigos íntimos a ponto de compartilharem uma mesma angústia recente. Os clubes acabaram vítimas da mesma surpresa da Copa Libertadores, o Barcelona, do Equador, responsável por eliminar o Palmeiras nas oitavas de final e o Santos nas quartas de final, resultados que deixaram os times em crise.

Nas últimas semanas outro episódio voltou a aproximar as duas equipes. A indefinição da renovação do contrato de Lucas Lima com o Santos fez o Palmeiras considerar o impasse como oportunidade e começar a monitorar a situação. Lesionado, o jogador não entrará em campo no clássico.

FORMAÇÕES

As duas equipes tiveram a semana inteira para se preparar e quantidade diferentes de problemas para definir os titulares. No Palmeiras, Cuca tem dois reforços por suspensão. No Santos, Levir amarga quatro baixas.

+ Baixe o podcast dos clubes

A equipe da casa não contará com o zagueiro Edu Dracena e o lateral-esquerdo Egídio, ambos suspensos. Por outro lado, terá como substitutos Luan e Zé Roberto, que volta a atuar na lateral depois de alguns meses fixado como meio-campo.

O técnico Levir Culpi não terá no Santos o meia Lucas Lima, o lateral-direito Victor Ferraz, o volante Renato e o meio-campista Emiliano Vecchio, todos contundidos. "São momentos como esse que proporcionam a oportunidade de você reverter uma situação. Aumentou a dificuldade, com certeza. Mas, na verdade, é uma grande oportunidade para a gente partir para a ponta do campeonato", disse. As lesões abrem espaço para Matheus Jesus, de 20 anos, ser titular no meio-campo.

O treinador santista demonstrou irritação na véspera do jogo com a postura de Vecchio. O jogador avisou no Twitter que não disputaria o clássico. 

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS X SANTOS

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Juninho, Luan e Zé Roberto; Jean, Tchê Tchê e Moisés; Willian, Dudu e Deyverson. Técnico: Cuca.

SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Matheus Jesus e Jean Mota; Copete, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi.

Juiz: Marcelo Souza

Horário: 19h

Local: Allianz Parque

TV: Pay-per-view

TRÊS PERGUNTAS PARA...Cuca, técnico do Palmeiras

1. Colocar Zé Roberto na lateral não pode ser arriscado, pela idade dele e pela velocidade do Santos? 

O Zé Roberto é experiente, sabe muito bem os atalhos do campo. Temos a opção de cobertura, tanto atrás como do lado. Do outro lado você vai ter um adversário que também trabalha para surpreender. Por isso é bom, é uma luta de estratégias, de controle de jogo. Acho que, em um panorama geral, outros jogadores podem ajudar o Zé Roberto a marcar.

2. O Palmeiras é favorito contra o Santos por jogar em casa?

Não temos alguns jogadores, mas sem dúvida que jogar em casa sempre é bom. A gente pede que o torcedor continue nesse incentivo que vem tendo com os jogadores. O que se pode prometer para eles é o máximo de empenho e entrega do time.

3. Quanto o clássico é importante para manter o sonho de título?

Eu estou otimista, porque tenho confiança no que planejamos, na meta que a gente determinou para o campeonato. A gente está evoluindo no final do campeonato e não se vê muitas equipes em evolução agora. São poucas.

TRÊS PERGUNTAS PARA...Levir Culpi, técnico do Santos

1.O Santos tem muitos desfalques para esse clássico. Como você avalia isso?

Realmente isso é uma verdade. Os jogadores estão fora, mas são momentos como esse que proporcionam a oportunidade de você reverter uma situação. Aumentou a dificuldade, com certeza. Mas, na verdade, é uma grande oportunidade para a gente partir para a ponta do campeonato.

2.Você conhece o Cuca há muito tempo. Qual é a sua relação com ele?

Conheço o Cuca desde Santa Felicidade (bairro da cidade de Curitiba). Ele não é muito bem bem-humorado... No meu caso, as crianças, idosos e bêbados têm mais compromisso com a sinceridade. E eu sou uma criança (risos).

3. Leandro Donizete tem sido muito criticado... Ele vai começar jogando?

É um tema polêmico. Com o Donizete estive no Atlético-MG. Ele foi campeão da Libertadores. Não é de graça isso. É um jogador de pegada no meio, poucos têm. Ele tem um currículo. Mas acontecem outras coisas. Se eu achar que deve jogar, vai jogar. Existe crítica que nosso jogo caiu no meio, existe razão. Observo as coisas e tomo decisões que não esperam às vezes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.