Palmeiras e Santos revivem histórico confronto no Pacaembu

Entre os jogos mais importantes das duas equipes no estádio estão a final do Paulistão de 1959 e a semifinal da Taça Brasil de 1964

Diego Salgado, O Estado de S. Paulo

17 de outubro de 2014 | 07h00

O Pacaembu deixará de ser utilizado pelo Palmeiras em breve. O time manda suas partidas no local desde a segunda metade de 2010, após o início das obras do seu estádio, o Palestra Itália, que deve ser reinaugurado oficialmente no dia 8 de novembro. Durante o período da reforma, quatro clássicos entre Palmeiras e Santos foram disputados no Estádio Paulo Machado de Carvalho, com duas vitórias alviverdes e uma santista. Neste domingo, mais um capítulo do confronto - válido pela 29.ª rodada do Brasileirão - será escrito no gramado do Pacaembu.

No total, os rivais se enfrentaram 264 vezes em 98 anos de rivalidade, desde setembro de 1916. No palco da partida deste domingo, os times já ficaram frente a frente em 57 oportunidades, com pequena vantagem para o Santos - 22 vitórias contra 19 do Palmeiras. Apesar de ser apenas uma opção das equipes, o Pacaembu já fez parte de alguns dos jogos mais importantes da história dos dois clubes.

Entre essas partidas estão as finais do Campeonato Paulista de 1959, decidido em três duelos, responsáveis pelo 13.º título estadual do Palmeiras. No ano anterior, os times foram protagonistas de um dos clássicos mais emocionantes do futebol brasileiro - ao todo, 13 gols foram marcados na vitória santista por 7 a 6. A lista traz ainda três goleadas - duas do Santos (em 1964 e 1982) e uma do Palmeiras (em 1994). Além disso, um confronto decidido pelo craque Neymar, autor de dois gols na derrota palmeirense por 2 a 1, em 2012.

Palmeiras 7 x 6 Santos - Torneio Rio-SP de 1958

O clássico mais emocionante entre os times foi disputado no Pacaembu. O Palmeiras abriu o placar com o atacante Urias. Pelé e Pagão viraram para o Santos. Nardo empatou aos 26 minutos do primeiro tempo. Antes do intervalo, Dorval, Pepe e Pagão fizeram 5 a 2 para o time santista. Mas o Alviverde conseguiu a recuperação e passou à frente, com dois gols de Mazzola. No fim da partida, Pepe fez mais dois e fechou o marcador.

Palmeiras 2 x 1 Santos - Paulistão de 1959

Palmeiras e Santos terminaram o campeonato empatados em número de pontos. O título, então, foi decidido em três confrontos. No primeiro, houve empate por 1 a 1. Na sequência, mais uma igualdade: 2 a 2. No último jogo, o Palmeiras venceu e voltou a ser campeão depois de oito anos: festejou os 2 a 1 no Santos de Pelé. Romero marcou o gol da vitória, de falta, no começo do segundo tempo.

Santos 4 x 0 Palmeiras - Taça Brasil de 1964

O jogo valia vaga para a grande final da Taça Brasil. O Santos, então tricampeão da competição, não deu chances ao Palmeiras. No primeiro jogo, também no Pacaembu, fez 3 a 2 no rival. Seis dias depois, voltou a vencer - bateu o time alviverde por 4 a 0. Pelé passou em branco, mas Pepe voltou a brilhar, marcando dois gols.

Santos 6 x 1 Palmeiras - Paulistão de 1982

Mais uma goleada santista no Paulo Machado de Carvalho. Dessa vez, na reta final da fase de grupos do Campeonato Paulista de 1982. À época, os times amargavam um pequeno jejum de títulos - o Santos não vencia o torneio desde 1978 e o Palmeiras, 1976. Na partida, o time santista marcou três gols em cada tempo. O adversário diminuiu o prejuízo quando o placar apontava 3 a 0.

Palmeiras 4 x 1 Santos - Paulistão de 1994

O Palmeiras deu o troco depois de 12 anos somente. O esquadrão treinado por Luxemburgo deu sequência à boa campanha nos pontos corridos do Campeonato Paulista. César Sampaio marcou o primeiro, de cabeça, ainda no primeiro tempo. Na etapa final, Macedo empatou após falha do zagueiro Cléber. Na etapa final, o futuro campeão estadual de 1994 fez três gols. Marcelo Fernandes anotou contra. Evair e Cléber, depois de falha do goleiro Edinho, também deixaram sua marca na goleada.

Santos 2 x 1 Palmeiras - Brasileirão de 2012

Um show de Neymar. O craque santista marcou duas vezes e decidiu o jogo no Pacaembu. Depois de ver Corrêa abrir a contagem, o atual jogador do Barcelona acertou o pé ao marcar de falta, sem chances para o goleiro Bruno - a bola tocou ainda na trave antes de entrar. Depois, novamente de fora da área, o camisa 11 chutou rasteiro e colocado para fazer 2 a 1 Santos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.