Palmeiras economiza com nova comissão

Na ponta no lápis, a troca de comando no Palmeiras acabou ficando de bom tamanho para a diretoria do clube no que diz respeito à quantidade de profissionais no elenco. Saíram seis e entraram três. Com o técnico Paulo Bonamigo, deixaram a Academia os seguintes profissionais: Sollivan Pallavalle (preparador físico), Alcinei Miranda e Edson Gonzaga (auxiliares técnico), Zé Mário (preparador de goleiros) e João Ricardo Cozac (psicólogo).Leão assumiu o time na segunda-feira e trouxe apenas dois profissionais com ele: Pedro Santilli, que será um misto de auxiliar-técnico e preparador de goleiros, sua função original, e Fernando Leão, um sobrinho que tentou a carreira de goleiro no próprio Palmeiras, mas nunca chegou longe. Ele será preparador físico da equipe. Certa vez, numa brincadeira ainda no CT do São Paulo, o técnico Leão o classificou de "goleiro chama-gol", uma referência à sua curta carreira como jogador profissional.A saída de Zé Mário também teria desagradado ao goleiro Marcos, que gostava muito do novo amigo. Das demissões na comissão técnica de Bonamigo, Leão disse que a única que não sabia era a do psicólogo Cozac. Mas o novo treinador palmeirense nunca foi adepto de trabalhar com profissionais dessa área. O presidente Affonso Della Monica deu carta branca a Leão. Vai usá-lo também na sua guerra política contra a turma de Mustafá Contursi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.