Giorgio Perottino/Reuters - 10/11/2010
Giorgio Perottino/Reuters - 10/11/2010

Palmeiras em vantagem para ficar com Ronaldinho Gaúcho

Equipe alviverde se dispõe a pagar R$ 1,3 milhão por mês ao meia contando com ajuda de empresas

LUÍS AUGUSTO MONACO - Jornal da Tarde,

23 de dezembro de 2010 | 10h08

SÃO PAULO - O fim da relação do Milan com Ronaldinho Gaúcho está sendo mais turbulento do que se esperava, e isso atrasa o acerto do craque com um clube brasileiro (o Palmeiras está em vantagem na disputa com Grêmio e Flamengo). O clube italiano não quer dar um centavo a ele - que teria R$ 9 milhões a receber se cumprisse o contrato até junho -, e Roberto Assis luta por uma indenização para o irmão e, por tabela, para ele.

Veja também:

linkPato diz que Ronaldinho Gaúcho quer ficar no Milan

Na primeira conversa com Assis, o vice-presidente Adriano Galliani (que está em São Paulo) explicou por que o Milan não está disposto a dar a 'buona uscita' (indenização) a Ronaldinho. Ele disse que é a compensação por o clube abrir mão de cobrar pela transferência, já que o contrato ainda está em vigor e ele não teria direito de sair de graça agora. Para o dirigente italiano, esse é o preço da liberdade.

Se o Milan pedir uma compensação financeira, os clubes brasileiros interessados em Ronaldinho sairão correndo. Palmeiras, Grêmio e Flamengo procuraram Assis para acertar o salário do craque, mas não querem ter de desembolsar um euro para o Milan - situação idêntica à do Corinthians quando sonhava em trazer Adriano.

Assis não concorda com essa postura do Milan. E tem interesses pessoais para tentar convencer o clube a dar um agrado para o seu irmão.

Pelo contrato coletivo dos jogadores na Itália, os procuradores têm direito a uma porcentagem sobre o salário de seus clientes (no máximo 10%) chamada 'provvigione' - que geralmente é paga pelos clubes. Como Ronaldinho ganharia R$ 9 milhões até o meio de 2011, Assis morderia uma fração desse valor. Se seu irmão não receber nada, ele também não verá a cor do dinheiro.

Palmeiras na frente. Adriano Galliani é um negociador duro na queda, e não será fácil para Assis conseguir dobrá-lo. Em todo caso, ele ainda terá alguns dias para tratar do assunto pessoalmente com o cartola, porque o italiano deve passar o fim de ano no Brasil com sua namorada.

Em contato ontem com algumas pessoas na Itália, Galliani disse que o Palmeiras está na frente na disputa por Ronaldinho. E o motivo, segundo ele, é simples: é o clube que oferece mais dinheiro ao craque.

O Palmeiras se dispõe a lhe pagar R$ 1,3 milhão por mês graças à ajuda de empresas, R$ 300 mil a mais do que o oferecido pelo Grêmio. E em 12 meses essa diferença chegará a R$ 3,6 milhões, o que não é pouco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.