Vinnicius Silva/Cruzeiro
Vinnicius Silva/Cruzeiro

Palmeiras empata com o Cruzeiro e está fora da Copa do Brasil

Times ficam no 1 a 1 no Mineirão pela semifinal em jogo marcado por briga em campo após apito final

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2018 | 00h01

A lista de sonhos do Palmeiras para o fim do ano terá de ser mais simples. Se o time a torcida esperavam uma série de conquistas, já têm de tirar da cabeça a Copa do Brasil, pois o Cruzeiro é quem avança na semifinal e está na decisão para enfrentar o Corinthians. Nesta quarta-feira, no Mineirão, o empate por 1 a 1 puniu quem perdeu em casa no jogo de ida e foi fraco no ataque na volta.

A vantagem cruzeirense de 1 a 0 construída no jogo de ida, no Allianz Parque, com gol ainda no começo de jogo, se mostrou decisiva para o Cruzeiro. Organizado na defesa, a equipe pouco foi pressionada no Mineirão principalmente por ter encontrado um Palmeiras muito efetivo no ataque para quem precisava vencer fora de casa.

Assim como no ano passado, o Palmeiras acaba eliminado da Copa do Brasil ao empatar com o Cruzeiro em 1 a 1 no Mineirão. O placar agregado de 2 a 1 tem como ingrediente mais cruel ao time alviverde ter levado dois gols do argentino Hernán Barcos, ex-atleta do clube.

Os times de Mano e de Felipão fizeram jus ao estilo dos técnicos. Um jogo de muita marcação, obediência tática e de muita posse de bola no meio-campo. No primeiro tempo de duas finalizações a gol e vários desarmes, prevaleceu a criação e a qualidade da armação do Cruzeiro. A mobilidade de Lucas Silva e Thiago Neves foi superior à inércia palmeirense.

O Cruzeiro ampliou a vantagem obtida no jogo de ida ao voltar a marcar com o mesmo jogador. O ex-palmeirense Barcos se aproveitou da falha de linha de impedimento para entrar livre na área e concluir, aos 26 minutos de jogo. O gol foi uma homenagem ao filho Gael, nascido na véspera da partida.

A resposta do Palmeiras foi conseguir um chute perigoso com Moisés, ainda no primeiro tempo. Foi pouco. Com o jogo muito travado e favorável ao Cruzeiro, detentor da vantagem, Felipão mexeu no intervalo para colocar Guerra e Deyverson.

As alterações ainda buscavam se adaptar em campo quando um gol mexeu com a situação. Dudu cobrou escanteio e Felipe Melo subiu para marcar de cabeça e empatar, aos cinco minutos. O Palmeiras só precisaria de mais um gol para levar aos pênaltis e evoluía.

Guerra corrigiu a principal falha do primeiro tempo, ao dar movimentação ao meio-campo. Com estilo brigador, Deyverson era mais adequado ao combate físico com os defensores cruzeirenses. No duelo tático com Felipão, Mano corrigiu a rota do time ao fazer trocas para reforçar a marcação e explorar o contra-ataque.

O Cruzeiro se fechou na defesa e segurou o jogo até os 53 minutos do segundo tempo para segurar a classificação à final para enfrentar o Corinthians. O fim da partida acabou marcado por uma briga no campo e confusão nas tribunas entre a polícia e a torcida do Palmeiras.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 1 X 1 PALMEIRAS

CRUZEIRO: Fábio; Lucas Romero, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva e Rafinha; Robinho (Mancuello), Thiago Neves (Bruno Silva) e Barcos (Sassá). Técnico: Mano Menezes.

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Antonio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique (Guerra) e Moisés (Jean); Willian, Dudu e Borja (Deyverson). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Gols: Barcos, aos 26 do 1º Tempo. Felipe Melo, aos 4 do 2º Tempo. 

Árbitro: Wagner Magalhães (RJ)

Cartões amarelos: Egídio, Borja, Felipe Melo, Deyverson, Willian

Cartões vermelhos: Mayke, Sassá, Diogo Barbosa

Público: 37.959 pagantes

Renda: R$ 2.128.080,00

Local: Mineirão, em Belo Horizonte

 

 

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.