Palmeiras empata com Oeste e vê liderança ameaçada

A classificação às semifinais está garantida, mas a torcida não anda nada satisfeita com os recentes resultados do Palmeiras, que, na noite desta terça-feira, não passou de um empate por 1 a 1 diante do Oeste, em Itápolis, em partida válida pela 18.ª rodada do Campeonato Paulista.

ALAN RAFAEL VILLAVERDE, Agencia Estado

31 de março de 2009 | 22h07

Com o resultado, o Palmeiras chega aos 41 pontos, mas não tem sua classificação como primeiro colocado assegurada, já que o São Paulo ainda possui chances. Uma vitória diante do Botafogo, domingo, às 16 horas, no Palestra, será o suficiente para assegurar a vantagem na próxima fase. Para o Oeste, o empate faz com que chegue aos 17 pontos, ainda sob forte risco de rebaixamento.

EXPERIÊNCIAS - Depois de conquistar a vaga às semifinais do Paulistão, o técnico Vanderlei Luxemburgo deixou claro que faria experiências na equipe com o intuito de preparar o time para os jogos na Copa Libertadores diante do rival Sport, nas duas próximas quartas-feiras, que devem definir o futuro do time na competição.

Para a partida diante do Oeste, Luxemburgo experimentou o esquema com três zagueiros (Marcão, Danilo e Maurício Ramos), deixando os laterais livres para atacar e ajudar Keirrison, mais uma vez isolado no ataque.

A ideia surtiu efeito nos primeiros 30 minutos de jogo, com Armero e Sandro Silva descendo ao ataque e municiando Diego Souza e Keirrison, que perdeu duas ótimas chances para abrir o placar.

O Oeste, em contrapartida, explorava os contra-ataques pelas laterais, exigindo muito dos defensores palmeirenses. Aos 16, a equipe de Itápolis chegou a abrir o placar com um gol de cabeça de Dezinho, mas o árbitro invalidou o lance, alegando impedimento.

QUEDA - Tendo que marcar, deixando de lado a armação, Cleiton Xavier passou a ser figura ilustrativa no ataque, deixando Diego Souza e Keirrison sem ação. O resultado foi uma queda brusca no rendimento da equipe na segunda etapa, dando chances ao adversário, que aproveitou e abriu o placar aos sete minutos, quando Nei Paraíba deu um belo passe para a penetração de Ademar pela esquerda. O lateral chutou forte, Marcos ainda desviou, mas a bola parou dentro do gol.

Ao ver sua nova experiência não dar certo, Luxemburgo fez duas alterações: Marquinhos no lugar de Jumar e Lenny no lugar de Marcão, fazendo com que a equipe jogasse com dois volantes e dois meias de criação.

Marquinhos, por muitos cogitado no Palmeiras, foi o autor da cobrança de falta que resultou no empate da equipe, aos 26. O meia cobrou na cabeça do zagueiro Maurício Ramos, que desviou para vencer o goleiro Weverton.

Tendo a possibilidade de garantir a liderança da primeira fase, o Palmeiras partiu para o ataque e quase marcou o segundo com Lenny, aos 29, quando passou pelo marcador e chutou cruzado, mas a bola foi para fora.

Apagado nos últimos jogos, em parte pelas experiência adotadas pelo técnico palmeirense, Keirrison teve mais uma chance para sair da partida com um gol e, de quebra, com a vitória para sua equipe. Mas novamente mostrou precipitação com um chute forte, em cima do goleiro, aos 47.

Ficha Técnica:

Oeste 1 x 1 Palmeiras

Oeste - Weverton; Dedê, Dezinho, Adriano e Ademar; Dias (Leandro Melo), Glaydson, Luciano Santos e Bruninho (Caíque); Nei Paraíba e Luizinho (Leandro Love). Técnico: João Ricardo.

Palmeiras - Marcos; Mauricío Ramos, Danilo e Marcão (Lenny); Sandro Silva (Evandro), Pierre, Jumar (Marquinhos), Cleiton Xavier e Pablo Armero; Diego Souza e Keirrison. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Gols - Ademar, aos 7, e Maurício Ramos, aos 26 minutos do segundo tempo.

Árbitro - Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral.

Cartões amarelos - Dias e Ademar (Oeste); Cleiton Xavier, Maurício Ramos, Pierre e Diego Souza (Palmeiras).

Renda e público - Não disponíveis.

Local - Estádio Ildenor Picardi Semeghine, em Itápolis (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.