Palmeiras empata com Tacuary: 2 a 2

O Palmeiras poderia ter voltado do Paraguai com a classificação assegurada para a Libertadores. Jogou muito melhor do que o Tacuary e teve várias chances para matar o jogo. Mas falhou e acabou levando o castigo no final. Com um gol de mão do meia Carlos Leite, o time paraguaio conseguiu arrancar um empate por 2 a 2, nesta quarta-feira à noite, em Assunção.O resultado, porém, não foi de todo mal para o Palmeiras. O jogo de volta será quarta-feira, no Palestra Itália, e o time pode até empatar em 0 a 0 ou 1 a 1. Se der 2 a 2, a disputa será nos pênaltis. Empate por três ou mais gols dá a classificação ao Tacuary. O vencedor desse mata-mata vai para o grupo 4 da Libertadores, juntamente com Santo André, Deportivo Táchira (da Venezuela) e Cerro Porteño (também do Paraguai).O Palmeiras teve chance para abrir o placar logo no primeiro lance do jogo. Aos 14 segundos, Ricardinho recebeu lançamento de Diego Souza e ficou cara a cara com o goleiro Aurrecochea. Mas chutou fraco, no meio do gol.Apesar da fragilidade técnica do adversário, o Palmeiras não continuou buscando o ataque. Ao contrário. Acanhou-se, esperando os paraguaios em seu campo de defesa. Com espaço para atacar, o Tacuary cresceu e acabou chegando ao gol. Aos 26 minutos, Edgar Gamarra cruzou da esquerda, Lúcio, Nen e Marcinho não conseguiram cortar e a bola sobrou para Lorenzo Silva, que emendou de primeira. Marcos não pôde fazer nada.O gol fez com que o Palmeiras acordasse. Aos 31, Diego Souza teve boa oportunidade para marcar, mas chutou por cima. Quatro minutos depois veio o empate: numa bela triangulação entre Corrêa, Warley e Magrão, este último recebeu na área e, com um leve toque, no canto esquerdo, tirou a bola do alcance de Aurrecochea.O Palmeiras voltou melhor no segundo tempo. Aos 11 minutos, Magrão fez um lançamento despretensioso, que não daria em nada. Mas o zagueiro Russi resolveu ajudar. Tentou recuar de cabeça para o goleiro, errou feio e a bola sobrou livre para Warley, que só empurrou para fazer seu primeiro gol com a camisa do Palmeiras.Melhor em campo, o Palmeiras teve várias oportunidades de ampliar. Em chutes de fora da área, Diego Souza quase fez aos 23 e aos 35 minutos. Foi o atacante Ricardinho, porém, quem teve a melhor chance: aos 29, ajeitou na frente de dois zagueiros e chutou colocado. A bola bateu na trave. No rebote, o próprio Ricardinho desperdiçou, chutando em cima do zagueiro Samudio.Mas o Palmeiras acabou castigado. Aos 36 minutos, Román foi à linha de fundo pela direita e cruzou, à meia altura. O meia Carlos Leite apareceu livre na pequena área e desviou para o gol com a mão esquerda. Os jogadores do time palmeirense reclamaram muito com o árbitro René Ortubé, mas o boliviano validou o gol. No final, o Palmeiras ainda tentou botar pressão, mas nem chegou perto do gol da vitória.

Agencia Estado,

02 de fevereiro de 2005 | 23h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.