Palmeiras empata e consegue acesso antecipado à elite

Após o jogo, time alviverde é vaiado por parte da torcida que espera gol

Gabriel Melloni, Agência Estado

26 de outubro de 2013 | 18h28

SÃO PAULO - Chegou ao fim neste sábado o calvário do

O São Caetano foi para cima e perdeu duas grandes chances. Aos 17 minutos, Marcelo Soares foi lançado pela esquerda e se atrapalhou, André Luiz tentou cortar e quase marcou contra. Seis minutos depois, foi a vez de Cassiano Boldini receber pelo lado esquerdo, cortar para o meio e bater forte, exigindo trabalho de Fernando Prass. Aos 37 minutos, o Palmeiras perdeu chance inacreditável. Após chute errado de Ananias, Alan Kardec desviou de cabeça e a bola sobrou para André Luiz, que, de frente para o goleiro, se atrapalhou e não conseguiu finalizar. A sobra, então, ficou com Henrique, que cortou o adversário e encheu o pé, por cima. Um minuto depois, aconteceu o lance mais polêmico da partida. Alan Kardec recebeu enfiada de Valdivia e tentou driblar Rafael Santos, que tocou na bola. Wilson Luiz Seneme errou e marcou pênalti. Quando o próprio Kardec já se posicionava para bater, o árbitro foi chamado pelo assistente Carlos Augusto Nogueira Junior, que relatou o erro, o que fez com que Seneme voltasse atrás.

SEGUNDO TEMPO

O Palmeiras retornou para o segundo tempo novamente partindo para cima do São Caetano e teve o primeiro grande momento aos cinco minutos, quando Ananias aproveitou sobra de escanteio e bateu forte, exigindo grande defesa de Fernando Prass. Um minuto depois, Luiz Felipe arriscou de longe, com perigo. Ao contrário do primeiro tempo, o time da casa não permitia a reação do adversário e seguia chegando com perigo. Aos nove, o goleiro Rafael Santos quase marcou contra, após se atrapalhar em cruzamento de Juninho. Cinco minutos depois, André Luiz recebeu dentro da área e encheu o pé. Desta vez o goleiro adversário foi bem.

A entrada de Geovane melhorou o São Caetano, que passou a levar perigo e chegou duas vezes com Eder. Na primeira, o meia bateu de fora da área e Fernando Prass espalmou. Na segunda, ele recebeu após bela triangulação pela esquerda e só não marcou porque o goleiro palmeirense voltou a praticar bela defesa. Eder ainda tentaria mais uma vez de longe, aos 40 minutos, e o crescimento do São Caetano parecia assustar a torcida, que diminuiu o volume e parecia acuada. Mas o anúncio de que o Joinville havia vencido o Paraná, resultado que daria o acesso ao Palmeiras mesmo com uma derrota, fez os torcedores relaxarem. Ao apito final, no entanto, um misto de aplausos e vaias tomou conta das arquibancadas.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 0 X 0 SÃO CAETANO

PALMEIRAS - Fernando Prass; Luis Felipe (Felipe Menezes), André Luiz, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Wesley e Valdivia; Vinicius (Serginho), Ananias e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

SÃO CAETANO - Rafael Santos; Samuel Xavier, Bruno Aguiar, Luiz Eduardo e Fernandinho; Jardel (Anselmo), Fabinho (Gabriel), Wagner Carioca e Eder; Marcelo Soares e Cassiano Boldini (Geovane). Técnico: Pintado.

ÁRBITRO - Wilson Luiz Seneme (Fifa/SP).

CARTÕES AMARELOS - Luis Felipe (Palmeiras); Bruno Aguiar, Anselmo, Samuel Xavier (São Caetano).

RENDA E PÚBLICO - não disponíveis.

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSérie BPalmeirasSão Caetano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.