Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Palmeiras empata e deixa escapar chance de assumir a ponta

Time vencia com dois gols de vantagem até os 37 do segundo tempo, mas cedeu empate ao Ituano por 3 a 3

Tercio David, estadao.com.br

24 de janeiro de 2010 | 19h07

O Palmeiras perdeu neste domingo uma boa chance de assumir a liderança do Campeonato Paulista em pleno Palestra Itália, mesmo que provisoriamente. Depois de estar vencendo com dois gols de vantagem até os 37 do segundo tempo, o time de Muricy Ramalho acabou só empatando por 3 a 3 com o Ituano, comandado dentro e fora de campo por Juninho Paulista.

Veja também:

linkPalmeirenses lamentam empate 'injusto'

especialQUIZ - Você sabe tudo sobre o Paulistão?

lista RESULTADOS / tabelaCLASSIFICAÇÃO

som Ouça os gols no Território Eldorado

O resultado deixou o Palmeiras com os mesmos cinco pontos do Ituano e no meio da tabela. O empate foi bom para o São Caetano, que assumiu a liderança com sete pontos, aproveitando também os tropeços de Santos e Botafogo.

Na próxima rodada, o Palmeiras enfrenta o Monte Azul, no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, na quarta-feira, às 21h50. No dia seguinte, também às 21h50, o Ituano visita o Bragantino, no Nabi Abi Chedi.

SOFRIMENTO

O começo do Palmeiras foi arrasador. Duas bolas na trave (uma de Robert e outra de Diego Souza), uma grande defesa do goleiro Eder (na cabeçada de Danilo) e uma cabeçada de Robert, que Jean Pablo salvou em cima da linha. Apesar da aparente facilidade, e a cara de goleada, o time de Muricy Ramalho sofreu para abrir o placar no primeiro tempo e só conseguiu logo depois de tomar um grande susto.

Anderson Ataíde recebeu livre na entrada da área do Palmeiras, cara a cara com Marcos, e tentou encobrir o goleiro, mas o toque foi fraco. O camisa 12 pegou sem problemas e ligou o contra-ataque com Armero, que rapidamente serviu a Diego Souza. O camisa 7 arrancou em velocidade, passou por entre as pernas do marcador e bateu firme na saída de Eder.

Vencendo, o Palmeiras, que já havia dimuído o ritmo após o início emocionante, tratou apenas de guardar forças para a segunda etapa, que se mostraria bastante conturbada, especialmente porque do outro lado estava o experiente Juninho Paulista, que fez história pelo próprio Palmeiras e também por São Paulo, Vasco e Flamengo.

O segundo tempo começou com novo susto para o Palmeiras, mas desta vez, o final do lance não foi feliz para a equipe alviverde. Em jogada confusa pela direita, bola chegou a Juninho Paulista no meio da área. O camisa 10 ajeitou e chutou. A bola bateu na mão de Deyvid Sacconi e voltou para o próprio Juninho, que desta vez acertou no contrapé de Marcos.

 PALMEIRAS 3
Marcos; Figueroa     , Gualberto      e Danilo; Armero, Pierre, Márcio Araújo, Deyvid Sacconi      (João Arthur) e Cleiton Xavier; Diego Souza e Robert.
Técnico: Muricy Ramalho
 ITUANO 3
Eder; Rodrigão, Jean Pablo, João Leonardo      e Simão      (Rissutt     ); Alemão, Sandro, Juninho Paulista e Alecssandro; Anderson Ataíde (Luiz Eduardo     ) e Carlos Eduardo      (Welton).
Técnico: Mazola Júnior
Gols: Diego Souza, aos 32 minutos do primeiro tempo. Juninho, a 1, Robert, aos 11, Deyvid Sacconi, aos 25, Danilo (contra), aos 37, e Rodrigão, aos 40 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Marcelo Aparecido R. de Souza.

Renda: R$ 258.000,00

Público: total: 9.684

Estádio: Palestra Itália, em São Paulo (SP)

O empate no placar durou apenas 10 minutos. Cleiton Xavier cruzou na área e Robert desta vez acertou o alvo na cabeçada, colocando no canto de Eder.

A vitória palmeirense praticamente se confirmou aos 25, novamente após um passe de Cleiton Xavier, que recebeu na entrada da área uma bola espirrada na disputa entre Robert e Rodrigão e colocou Deyvid Sacconi na cara do gol. O atacante mostrou tranquilidade para ajeitar e bater no canto, sem chance para o bom goleiro Eder.

No entanto, o time sentiu o homem a menos (Gualberto foi expulso aos 17) e mostrou ser uma equipe que ainda não se entende muito no sistema defensivo. Juninho recebeu pela direita, avançou e rolou na tentativa de encontrar Carlos Eduardo no meio da área. Armero apareceu para cortar, dando um chutão na bola, que acertou a cabeça de Danilo e morreu no fundo da rede de Marcos, aos 37.

A tensão tomou conta do Palmeiras e o time não teve força mental para evitar o empate do Ituano, apenas três minutos após sofrer o segundo gol. Após levantamento na área, Marcos não conseguiu cortar plenamente e a bola sobrou limpa para Rodrigão bater firme e fazer o terceiro do Ituano, para incredulidade do torcedor que foi ao Palestra Itália.

Apesar da luta final do time nos minutos que restaram, o torcedor palmeirense protestou e pediu reforços após o apito que encerrou o jogo. Marcos e outros atletas saíram do gramado sem dar entrevistas.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.