Palmeiras encara o Guarani para espantar a crise de vez

Equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo não vence no Paulistão há quatro rodadas

Juliano Costa, Jornal da Tarde

08 de fevereiro de 2008 | 22h02

Já passou da hora de o Palmeiras engrenar no Estadual. A apenas um ponto da zona do rebaixamento e vindo de três derrotas, enfrenta neste sábado o Guarani, às 20h30, em Rio Preto, precisando vencer para não perder de vista, de vez, os líderes. "Tenho certeza de que este grupo ainda vai ter muito sucesso", diz o técnico Vanderlei Luxemburgo. "Não posso dizer se a vitória vai sair amanhã ou depois, mas os resultados positivos logo vão aparecer."Veja também: Classificação Calendário / ResultadosApós a derrota para o Guaratinguetá (3 a 0, na quarta-feira), a torcida de Rio Preto hostilizou alguns jogadores e ensaiou o coro de "timinho". A maior pressão nem é sobre Luxemburgo - ainda há unanimidade entre jogadores e os diretores do departamento de futebol. O problema está no ataque.Desde setembro de 2000 o Palmeiras não fica tanto tempo sem fazer um golzinho sequer. Já são 280 minutos sem balançar a rede adversária. Valdivia, Diego Souza e Alex Mineiro, que compõem o trio escolhido pelo treinador para ser a base ofensiva da equipe neste início da temporada, já começaram a sentir a pressão bater. Na segunda-feira, o chileno foi o primeiro a admitir que está devendo futebol. Neste sexta, Diego Souza e Alex Mineiro evitaram contato com os jornalistas - justificaram que precisam engrenar antes de passar a aparecer com freqüência na mídia. Alex Mineiro ainda é o artilheiro do time, com três dos seis gols palmeirenses marcados até o momento. Mas as muitas chances desperdiçadas nos últimos três jogos fizeram com que alguns torcedores passassem a desconfiar se é ele o jogador ideal para acabar com a "maldição da camisa 9", iniciada em 2004, quando Vagner Love se transferiu para o CSKA, da Rússia. De lá pra cá, o Palmeiras testou 23 atacantes e nenhum emplacou. Max, Luís e Rodrigão foram os últimos de uma lista que teve Kahê, Rafael Lingüiça e Adriano Chuva.Por causa da idade avançada (32 anos), Alex Mineiro é o único jogador de frente sem poder de revenda no mercado. Valdivia, Diego Souza, Lenny e até o novato Jorge Preá (24 anos) podem render boladas consideráveis ao clube. Só o chileno está avaliado em US$ 20 milhões. Diego Souza e Lenny pertencem à Traffic, mas parte de seus direitos ficarão com o Palmeiras, em caso de venda para o exterior - 20% e 30%, respectivamente. A expectativa em torno desse ataque milionário é enorme. "As coisas estão começando a se encaixar", diz o caçula Lenny, 19 anos. "O problema ainda é o entrosamento, mas a gente vê em campo que o time está no caminho certo", emenda o garoto, que será mantido no banco de reservas por uma decisão estratégica de Luxemburgo - o técnico entende que a velocidade de Lenny pode ser um trunfo se usada no segundo tempo.No jogo deste sábado, Luxa não pode contar com o volante Pierre, suspenso. Wendel ficará com a vaga. O goleiro Marcos, que falhou no segundo gol do Guaratinguetá, em seu retorno ao time após 331 dias parado, será mantido como titular. Pelo lado do Guarani, que escapou da zona de rebaixamento na última rodada, o técnico Roberval Davino reuniu-se com os seus jogadores antes do treino tático realizadonesta sexta-feira, na véspera do jogo contra o Palmeiras. E fez um alerta curioso: "Não quero ninguém empolgado, só porque o Palmeiras vem de três derrotas seguidas e não vence há quatro rodadas. Precisamos tomar cuidado para não pagarmos o pato".  PalmeirasMarcos; Gustavo, David e Henrique; Elder Granja, Wendel, Léo Lima, Diego Souza e Leandro; Valdivia e Alex Mineiro.Técnico: Vanderlei Luxemburgo. GuaraniGisiel; Danilo Silva, Max Sandro e Xandão; Valdo, João Paulo, Fabinho, Marcinho, Fábio Pinto e Paulo Santos; CrisTécnico: Roberval DavinoÁrbitro: Leonardo Ferreira LimaEstádio: Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto (SP)Horário: 20h30Rádio: Eldorado/ESPN 700 AMTV: PPVAlém disso, o técnico bugrino rasgou elogios ao adversário: "Tem um grande técnico [Vanderlei Luxemburgo] e jogadores de excelentes qualidades". Apesar disso, Davino também elevou o moral do grupo e acredita que a evolução está sendo continuada. "Jogamos mal os dois primeiros jogos, mas hoje quem nos enfrenta já sabe que tem um osso duro de roer. Isso, porque todos em campo estão determinados a cumprir o nosso planejamento."O Guarani sofre mais uma vez pelo acordo estabelecido com times da capital paulista. Depois de perder o zagueiro Diego, na estréia contra o Corinthians, o time campineiro não poderá contar com o volante Roger Bernardo, que pertence ao Palmeiras e, por isso, não poderá enfrentá-lo.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasGuaraniPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.