Palmeiras enfim consegue a primeira vitória sob o comando de Felipão

Time alviverde bateu o Atlético Paranaense por 2 a 0, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro

ANDRÉ AVELAR, estadão.com.br

14 de agosto de 2010 | 20h28

André Lessa/AE

SÃO PAULO - O chacoalhão no elenco surtiu efeito neste sábado, 14, no Pacaembu. Depois de cobrar comprometimento dos jogadores, o técnico Luiz Felipe Scolari conseguiu sua primeira vitória no comando do Palmeiras ao bater o Atlético Paranaense por 2 a 0, pela 14.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Veja também:

linkFelipão diz que mudanças deram 'alma' ao Palmeiras

linkValdivia é apresentado ao lado do ídolo Ademir da Guia

blog BATE-PRONTO - Agora parece que vai

tabela BRASILEIRÃO - Tabelas 

Com o resultado, o time soma 19 pontos e sobe para a nona colocação. Sob o comando do novo treinador, agora o time tem uma vitória, duas derrotas (sendo um pela Copa Sul-Americana) e quatro empates. O adversário estacionou nos 14 pontos e ocupa a 15.ª posição.

 

"Espero que tenha uma vibração maior. Só assim vamos superar as dificuldades", bradou Felipão. "Mas uma série de detalhes me fazem acreditar que vamos ter um bom resultado na partida."

 

Passado e presente. Como antecipou ao estadão.com.br, o eterno ídolo palmeirense Ademir da Guia retribuiu a homenagem de Valdivia. O craque Divino entregou a camisa 10 do Palmeiras ao meia-atacante chileno, que ainda não pode reestrear pelo clube.

 

"É uma emoção muito grande ganhar o presente de um ídolo de verdade", disse Valdivia, com o cuidado de não quebrar a "orientação de silêncio" recomendada por Felipão.

 

Mais festa. Suspenso por 11 jogos em um vergonhoso episódio de racismo, Danilo decidiu dar a volta por cima, contra o mesmo Atlético-PR, da melhor forma possível. Logo com dois minutos de partida, o zagueiro aproveitou cruzamento de Tinga para escorar de cabeça e ainda coroar sua centésima partida com a camisa alviverde.

 

Já os paranaenses só conseguiram chegar depois da entrada, ainda na primeira etapa, do meia-atacante Branquinho. Vice-campeão com o Santo André, ele tirou o Atlético da retranca (começou o jogo com quatro zagueiros) e passou a assustar o goleiro Marcos com chutes de longe.

 

Mas os times voltaram tímidos do intervalo. Baixou a falta de criatividade dos dois lados e sobraram os pontapés. Tadeu foi expulso aos dois minutos após acertar o adversário com o braço. Sobrou até para Felipão, que, mais tarde, foi convidado a se retirar pelo árbitro Wilton Pereira Sampaio (DF).

 

Garçom. Sobrou então para o recém-contratado Tinga, observado do estádio pelo técnico da seleção brasileira Mano Menezes, dar o toque de classe. Depois do passe para o primeiro gol, ele também deixou Ewerthon na cara do gol. O atacante, que havia acabado de entrar, não perdoou e anotou o segundo.

 

A partir daí, bastou o Palmeiras tocar a bola no campo de ataque. Abatido, o time do técnico Paulo César Carpegiani não tinha forças para reagir. Foi a primeira vitória de Felipão, ainda que ele tenha acompanhado os minutos finais do vestiário.

 

  PALMEIRAS - 2 - Marcos; Maurício Ramos , Danilo, Fabrício; Marcos Assunção, Edinho, Márcio Araújo, Tinga , Rivaldo; Tadeu  e Luan (Éwethon). Técnico: Luiz Felipe Scolari .

  ATLÉTICO PARANAENSE - 1 - Neto; Leandro , Gustavo Lazarotti, Rhodolfo, Bruno Costa (Branquinho); David (Mithyuê) , Chico, Paulo Baier , Paulinho; Guerron (Maikon Leite)  e Bruno Mineiro. Técnico: Paulo César Carpegiani.

Gols - Danilo, aos 2 minutos do 1.º Tempo. Ewerthon, aos 31 minutos do 2.º Tempo; Árbitro - Wilton Pereira Sampaio (DF) - ; Local - Pacaembu, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.