Palmeiras enfrenta Mirassol em jogo que pode valer liderança

Na segunda colocação, com 7 pontos, o time enfrenta a equipe do noroeste do Estado na Arena Barueri

Daniel Akstein Batista, O Estado de S. Paulo

25 de janeiro de 2008 | 20h16

Quando entrar em campo, às 20h30, neste sábado, o Palmeiras já saberá se a partida vai valer a liderança do Paulista. E pode atingir a ponta da tabela na quarta rodada do torneio. Na segunda colocação, com 7 pontos, o time enfrenta o Mirassol na Arena Barueri (o gramado do Palestra segue em reformas). Mas antes ficará na torcida para que a líder Ponte Preta (3 vitórias) não vença, em casa, o São Caetano, às 18h10. E domingo, o São Paulo pode atingir os mesmos 10 pontos se bater o Corinthians. Veja também: Luxemburgo descarta contratação de Maldonado Pode-se dizer que o Palmeiras ainda é uma equipe em formação. E, se a fase já está boa sem todos os reforços, os torcedores já imaginam como será quando Lenny e Diego Souza, as principais contratações, puderem vestir a camisa do clube - eles ainda não estão com a documentação regularizada e devem estrear na quarta-feira, contra o Ituano, em Piracicaba. Valdivia, muito perseguido nos três jogos iniciais (contra o Marília, inclusive, levou um chute na cara e deixou o campo com o nariz sangrando), deve seguir sem ter muito espaço neste sábado. "Ele vai ter de saber sair desta marcação", disse Vanderlei Luxemburgo. "Temos de tirar proveito da situação."PalmeirasDiego Cavalieri; Éder Granja, Gustavo, Dininho e Leandro; Pierre, Martinez e Valdivia, William, Luiz Henrique e Alex MineiroTécnico: Vanderlei LuxemburgoMirassolAlexandre Fávaro; André Turatto, Júlio César e Montoya; Fabinho Capixaba, Claudinho Baiano, Sandro Silva, Xuxa e Cláudio; Anderson Lobão e Fabiano SouzaTécnico: Luís Carlos MartinsÁrbitro: Antônio Rogério Batista do PradoEstádio: Arena BarueriHorário: 18h10TV: Pay-Per-View Em três partidas, o chileno levou dois cartões amarelos, além de toda a atenção dos adversários e também dos árbitros. Mesmo assim, Luxemburgo não cogita a idéia de tirar a faixa de capitão do jogador. "Nada a ver. Não posso tirar por causa de toda esta polêmica, é preciso ver o comportamento do Valdivia nestes jogos. Ele mudou, isto é o mais importante", falou. "O Valdivia tem de jogar futebol e falar com o adversário na linguagem da bola: driblar, fazer boas jogadas. A provocação leva à violência, e o comportamento dele está muito bom."  O treinador confirma que sua equipe ainda não está perto da perfeição, mas que tem gostado da atuação. Tanto que irá repetir a escalação dos últimos dois jogos. Luxemburgo só não gostou muito do horário do jogo deste sábado, às 20h30. "Infelizmente, o ideal não pode ser colocado em prática. Hoje, a questão é negócio." O zagueiro Gustavo é um dos poucos atletas que não reclamaram do relógio. "Eu gosto de jogar à noite, o desgaste é menor", explicou. O Palmeiras irá fazer mais dois jogos neste horário de sábado: no dia 9, contra o Guarani, e no dia 23, contra o Rio Preto.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasMirasolPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.