Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Palmeiras enfrenta o Osasco Audax em duro teste antes do clássico

Kleina admite que o adversário deste domingo vai dar muito trabalho ao seu time

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2014 | 04h44

SÃO PAULO - Depois de vencer um dos jogos mais difíceis na temporada – 2 a 1 sobre o XV de Piracicaba –, como os próprios jogadores admitiram, o Palmeiras volta a campo neste domingo diante do Osasco Audax, no Pacaembu, para mais uma missão que parece ser bem espinhosa, mesmo com toda a disparidade técnica que existe entre os grandes e pequenos no Campeonato Paulista.

Na visão de Gilson Kleina, o Palmeiras passou a ser o time mais visado na competição por ter 100% de aproveitamento e vitórias conquistadas com muita disposição. Como os adversários vão "aprender" como a equipe Alviverde joga, o desafio do treinador é reinventar o embalado time, sem perder o ritmo. "Estamos chegando na metade do campeonato e é importante manter o nível, mas os adversários vão se preocupar mais com a gente e nos estudar bastante, porque viramos uma referência", disse o treinador.

Do outro lado, estará um time que aparece como uma das sensações do Paulistão. Embora a campanha não seja encantadora – duas vitórias, dois empates e duas derrotas –, o debutante time na elite estadual chama a atenção pelo estilo de jogo, em que prioriza o toque de bola e tenta envolver o adversário. Kleina, que tradicionalmente faz questão de encher a bola dos adversários, tratou esse como especial.

"O Audax joga um futebol diferente do que se joga no Brasil. Eles optam pela posse de bola e não se preocupam só em marcar", analisou.

Junto com a dificuldade do adversário – e um respeito exagerado –, outro ponto que faz a partida de deste domingo ser diferente é que no próximo domingo o Palmeiras terá pela frente o Corinthians, portanto um tropeço e o fim dos 100% de aproveitamento antes do clássico seria desastroso pelo momento da equipe.

SEM MEDO

Kleina resolveu correr riscos, mesmo ao preço de chegar no clássico sem alguns de seus principais jogadores. Ele passou os últimos dias pensando se deveria poupar ou não Marcelo Oliveira e Leandro. O primeiro está cansado e o outro pendurado com dois cartões. Ao contrário do habitual, o treinador não quis revelar o time, mas ambos foram relacionados e ontem, Kleina conversou com o volante e o atacante pedindo um esforço maior para estarem em condições de disputar o clássico. O treinador transmitiu confiança aos dois.

Novidade certa é a entrada do lateral-esquerdo William Matheus, ex-Goiás, no lugar de Juninho, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Quem também vai para o jogo é Valdivia, poupado contra o XV de Piracicaba, na quarta-feira.

No Osasco Audax, o técnico Fernando Diniz, ex-meia do Palmeiras, Corinthians, entre outros, vem com força máxima.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Wellington e William Matheus; Marcelo Oliveira, Wesley, Mazinho e Valdivia; Leandro e Alan Kardec.

Técnico: Gilson Kleina

OSASCO AUDAX

Felipe Alves; Velicka, João Paulo, Francis e André Castro; Nenê Bonilha, Tchê Tchê, Camacho e Rafinha; Caion e Denílson.

Técnico: Fernando Diniz

JUIZ: Rodrigo Guarizo do Amaral

LOCAL: Pacaembu, em São Paulo

HORÁRIO: 17h

TV: Pay-per-view

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.