Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras erra 66% dos pênaltis no ano e liga sinal de alerta

Clube acumula quatro falhas seguidas em cobranças e desperdiça chances de consolidar resultados melhores

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

07 Agosto 2018 | 05h00

Quando o torcedor do Palmeiras vê o time com pênalti a favor, não consegue mais comemorar com tanta certeza de que será convertido. A equipe vive um péssimo momento quando se trata desse tipo de lance, ao ter errado as quatro ocasiões mais recentes neste ano, duas delas nos dois últimos jogos. Nesta temporada o aproveitamento é de apenas 33% em cobranças no tempo normal, com dois acertos em seis tentativas.

+ Palmeiras enfrentará o Bahia no Pacaembu

+ Clube terá elenco com uma opção a menos na Libertadores

No último domingo o meia Jean teve a cobrança defendida por João Ricardo, do América-MG, em encontro pelo Campeonato Brasileiro. Era a chance para a equipe abrir o placar e não ficar no empate sem gols. Dias antes, em Salvador, diante do Bahia, pela Copa do Brasil, o roteiro era parecido. Bruno Henrique poderia ter feito o time abrir 1 a 0, mas chutou no travessão. A partida acabou empatada sem gols.

Antes desses dois lances, o Palmeiras tinha desperdiçado um pênalti importante contra o Sport, no Allianz Parque. Keno teve a cobrança defendida pelo goleiro Magrão no último minuto. Com isso, a equipe não conseguiu evitar a derrota por 3 a 2. Pelo Campeonato Paulista, Felipe Melo chutou por cima uma cobrança contra o Novorizontino. Naquela ocasião a equipe alviverde já vencia por 5 a 0.

O último gol de pênalti do time em tempo normal foi em março, com Dudu contra o mesmo Novorizontino, pelo jogo de ida das quartas de final do Campeonato Paulista. O atacante foi quem também converteu a outra cobrança do Palmeiras no ano, diante do Mirassol, em fevereiro, pela primeira fase do Estadual.

O aproveitamento ruim da equipe em cobranças deixa o técnico Luiz Felipe Scolari atento pela realização de confrontos eliminatórios em breve. O mês de agosto terá decisões de vaga nas próximas fases da Copa do Brasil e da Copa Libertadores, competição inclusive em que o Palmeiras acabou eliminado no ano passado ao perder nos pênaltis para o Barcelona, do Equador.

No ano passado o time também foi mal no fundamento. Foram nove chutes da marca da cal, com cinco acertos. Os pênaltis causaram neste ano a derrota na final do Campeonato Paulista, para o Corinthians, em pleno Allianz Parque, um dos resultados mais dolorosos para o clube até agora.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.