Lucas Uebel/Divulgação
Lucas Uebel/Divulgação

Palmeiras espera a Libertadores para contar com Marcelo Moreno

Clube paulista está disposto a esperar para ter o atacante até a Série B do Brasilerão

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2013 | 07h00

SÃO PAULO - A polêmica e conturbada negociação envolvendo o atacante Barcos com o Grêmio só deve acabar em julho, ou quando o time gaúcho for eliminado na Copa Libertadores. Será o momento em que o Palmeiras vai poder acertar o empréstimo do quinto jogador, decidido quando o argentino deixou o clube. Até lá, o time alviverde aposta suas fichas no atual elenco.

O diretor executivo do Palmeiras, José Carlos Brunoro, conversou com representantes do Grêmio e ouviu que o time gaúcho não tem interesse em liberar nenhum dos jogadores que interessam ao técnico Gilson Kleina enquanto estiver na competição continental. A prioridade, como já sabido, é Marcelo Moreno, e o clube paulista está disposto a esperá-lo.

Já que não poderá inscrever o atacante na Libertadores, o pensamento da diretoria palmeirense é o de que vale a pena aguardar pelo jogador para o meio do ano e, assim, vê-lo disputar a Série B pela equipe. Enquanto isso, Kleber, vindo de empréstimo do Porto, herda a lacuna deixada pelo atacante argentino.

“Não precisamos ter pressa. Ele, ou qualquer outro jogador do Grêmio, pode vir para a Série B. Não poderíamos utilizá-lo na Libertadores mesmo. Então não tem problema se tiver que esperar acabar a Libertadores”, disse Brunoro.

Marcelo Moreno desde o início deixou claro que não tem interesse em deixar o time gaúcho neste momento, mas após a Libertadores pode rever a decisão. O técnico Vanderlei Luxemburgo já avisou que aceita liberá-lo, já que conta com muitos jogadores para o ataque.

O plano B, caso a negociação com Moreno não avance, é o volante Marco Antônio, mas esse Luxemburgo não pretende liberar.

Em relação ao atacante Kleber Gladiador, o jogador manifestou interesse em retornar ao Palmeiras como parte da negociação por Barcos, mas a rejeição no clube é muito grande. Além disso, embora o Alviverde ainda não tenha feito uma proposta oficial para o jogador, já recebeu a informação que ele gostaria de vir em definitivo, com um contrato de cinco anos e salário por volta de R$ 500 mil, valor que assustou a diretoria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.