Palmeiras espera decisão de Magrão

O Palmeiras desistiu de brigar para ter Magrão. A diretoria literalmente lavou as mãos, transferindo para o jogador a responsabilidade de uma decisão quanto ao seu futuro. Na prática, fica claro que o clube não entrará em leilão com o FC Moscou para segurar o volante no Palestra Itália.Magrão continua no litoral da Bahia, curtindo férias por conta própria, e não se reapresentou com os demais companheiros nesta sexta-feira, na Academia de Futebol. Quem está cuidando das negociações com os russos é o empresário Marcel Figer - a empresa dele detém 50% dos direitos federativos do jogador, enquanto os 50% restantes são do Palmeiras.A amigos, Magrão confirmou que a proposta do FC Moscou é irrecusável. O clube russo acenou com uma proposta de US$ 70 mil (R$ 189 mil), fora os 15% a que o jogador tem direito sobre seus direitos federativos. Ao todo, o pacote financeiro oferecido pelos russos - envolvendo o Palmeiras, Figer e o Magrão - chega aos US$ 6 milhões (R$ 16,2 milhões).Apesar do dinheiro respeitável, Magrão ainda está indeciso. Viver com a família num país de costumes tão diferentes como a Rússia assusta o volante. Além disso, ele e a mulher, Andréia, têm alguns negócios em São Paulo. Por isso, o jogador acenou com a hipótese de fazer um acerto com o Palmeiras para ficar pelo menos até o final do primeiro semestre. O problema é que a diretoria não parece disposta a dar um aumento salarial para segurar Magrão no Palestra Itália, até porque ele tem contrato em vigência com o clube até 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.